MENU

Quatro estudantes da tragédia de Realengo permanecem internados

Quatro estudantes da tragédia de Realengo permanecem internados

Atualizado: Segunda-feira, 18 Abril de 2011 as 12:33

Quatro alunos da Escola municipal Tasso da Silveira, em Realengo, na Zona Oeste do Rio, feridos durante o ataque do ex-aluno Wellington Menezes de Oliveira, permanecem internados. De acordo com informações da Secretaria estadual de Saúde, dois alunos ainda estão no CTI pediátrico dos hospitais.

Uma das vítimas, de 14 anos, vem se recuperando bem na enfermaria do Hospital Alberto Torres, em São Gonçalo, na Região Metropolitana. Outro aluno, de 13 anos, está estável, em observação permanente no pós-operatório da neurocirurgia do Hospital Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Já a estudante de 13 anos, que também está no Hospital Adão Pereira Nunes, permanece no CTI, sob observação rigorosa, com quadro estável, mas que ainda inspira cuidados. O estudante que segue no Hospital Albert Schweitzer, em Realengo, também está estável, mas no CTI. Não há previsão de alta para nenhum dos alunos.

Atividades recomeçam nesta segunda

As aulas na escola recomeçam às 13h desta segunda-feira (18). Os alunos farão a readaptação. Nos primeiros dias, a previsão é de que eles participem apenas de atividades lúdicas, como arteterapia e pintura e poesia, para aliviar o trauma provocado pelo crime. As aulas deverão ser retomadas gradativamente em até três semanas.

“No início, pensamos em fazer uma cerimônia de reinvenção da escola, mas os psicólogos sugeriram evitar a superexposição das crianças e fazer um trabalho mais individualizado, permitindo o retorno seja por grupo, de uma forma gradativa”, explicou a secretária municipal de Educação, Cláudia Costin, na semana passada.

Escola pintada

Na manhã do último sábado (16), cerca de 50 ex-alunos e voluntários se reuniram para pintar de branco o muro da escola. A iniciativa partiu do projeto “Mãos que Ajudam”, da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, que conseguiu recursos junto à prefeitura para comprar a tinta, pincel e lanche para os voluntários. A parte interna da escola também será pintada, com cores vivas, por profissionais voluntários do projeto.

Indenização

O prefeito Eduardo Paes já confirmou que vai indenizar as famílias das 12 crianças mortas. O crime deixou também outras 12 crianças feridas, mas o órgão não decidiu se elas também serão beneficiadas.

“A prefeitura resolveu que vai indenizar as famílias que perderam seus entes queridos. Essas famílias passaram por um sofrimento que é indescritível, que nada compensa, nada resolve. É uma perda irreparável, mas a gente entende que algum tipo de indenização deve ser discutido”, afirmou Paes na sexta-feira (15).

O prefeito explicou que já entrou em contato com o defensor público geral do estado e o procurador geral do município para tratar dos critérios técnicos e calcular o valor da indenização. A data do pagamento também ainda não foi definida.      

veja também