MENU

Quero saber como cada real foi gasto,diz Côrtes sobre verba para serra

Quero saber como cada real foi gasto,diz Côrtes sobre verba para serra

Atualizado: Quinta-feira, 4 Agosto de 2011 as 2:10

Secretário estadual de Saúde, Sérgio Côrtes, fala

na CPI da Região Serrana (Foto: Lilian Quaino/G1)

  As subsecretarias Executiva e Jurídica da Secretaria estadual de Saúde do Rio já estão analisando a prestação de contas das prefeituras das cidades da Região Serrana atingidas por temporais em janeiro, que receberam recursos estaduais que somam R$ 22 milhões.

A informação é do secretário de Saúde, Sérgio Côrtes, que na manhã desta quinta-feira (8) prestou depoimento à CPI da Assembleia Legislativa que investiga a responsabilidade de órgãos públicos na tragédia que matou mais de 900 pessoas.

"Queremos saber de que maneira cada real foi aplicado. Poderemos pedir explicações, poderemos ir ao local, numa relação que tem que ser transparente com as prefeituras e as Secretarias municipais de Saúde", disse Côrtes.

O secretário afirmou que sua equipe tem 30 dias para analisar as prestações de contas.

O presidente da CPI, deputado Luiz Paulo Corrêa da Rocha (PSDB), disse ter considerado relevantes as informações do secretário Sérgio Côrtes sobre a transferência de R$ 22 milhões para oito prefeituras da Região Serrana.

"Existem denúncias de desvios de recursos públicos principalmente nas prefeituras de Teresópolis e Nova Friburgo. O secretário se comprometeu a enviar cópias desses repasses e das prestações de contas das prefeituras e vamos analisar. Isso será tema do relatório final que irá para o Ministério Público federal e estadual", informou o deputado.

Prazo terminado

Em janeiro, logo após as chuvas, foram liberados os recursos e dado prazo de 180 dias para as prefeituras explicarem como foi usada a verba, disse o secretário, explicando que o prazo terminou no início de agosto.

Côrtes não soube responder quais prefeituras já enviaram seus relatórios, mas sabe que a de Teresópolis ainda não mandou e até pediu prorrogação do prazo em 90 dias, o que não foi aceito. O prefeito de Teresópolis, Jorge Mário, foi afastado do cargo na noite de terça-feira (2) pela Câmara de Vereadores, sob suspeita de mau uso de verbas públicas.

"Aceitamos apenas dar mais 30 dias em função da substituição há dez dias do secretário de Saúde de Teresópolis, disse Côrtes.

Força-tarefa

O secretário afirma que explicou aos deputados da CPI que, nas chuvas de janeiro, o governador Sérgio Cabral determinou a criação de uma força-tarefa para atender às necessidades de assistência imediata das vítimas com a instalação de dois hospitais de campanha, um em Teresópolis e outro em Frigurgo, onde também a Marinha instalou um hospital de campanha.

"Destaquei aos deputados a transferência de recursos, de materiais e, principalmente, o forte trabalho que a Subsecretaria de Vigilância fez para que tivéssemos as menores complicações possíveis das doenças que surgem depois desse tipo de tragédia como a leptospirose", disse Côrtes.

Ele afirma que foram mais de 600 casos notificados, 150 casos confirmados, todos com assistência garantida

"Foi feito um planejamento antes de a doença surgir para que as secretarias municipais pudessem atender de forma adequada a possível epidemia que podia aparecer", explicou.          

veja também