Área onde houve soterramento corre risco de novos deslizamentos em SP

Área onde houve soterramento corre risco de novos deslizamentos em SP

Atualizado: Sexta-feira, 8 Julho de 2011 as 8:21

Ainda há risco de deslizamentos de terra no Morro dos Macacos, em Cidade Ademar, Zona Sul de São Paulo, onde duas pessoas morreram soterradas nesta quinta-feira (7). De acordo com a Prefeitura, dez casas foram destruídas e 24 interditadas. O acidente aconteceu na Rua da Saúde, onde era realizada uma obra de urbanização da Prefeitura. O local onde aconteceu o acidente é uma das 24 áreas de risco mapeadas pela Prefeitura na região. No Morro dos Macacos vivem pelo menos 2 mil pessoas. Mas os moradores já estavam preocupados com a obra de urbanização e contenção de encostas.

O barranco estava em obras para não ceder. A parte mais alta já estava coberta de concreto, mas a terra desceu do morro e arrastou casas e um carro. A água usada nas casas e o esgoto são lançadao na encosta, deixando o terreno encharcado.

A maior parte das famílias já havia sido retirada, mas algumas insistiram em ficar no terreno. O planejamento da obra identificou a necessidade de remoção de 500 das 2 mil famílias que vivem no bairro. Deste total, 422 famílias foram retiradas até esta quinta-feira e estão recebendo auxílio-aluguel. Outras 78 permaneciam no local até momentos antes do acidente. “O risco existia, a obra esta sendo feita para eliminar o risco”, afirmou Ricardo Pereira Leite, secretário Municipal de Habitação.

O Ministério Público instaurou inquérito civil para apurar as causas do deslizamento de terra. O promotor de justiça de Habitação e Urbanismo de São Paulo, Mauricio Antonio Ribeiro Lopes, quer investigar se houve imperícia ou negligência na realização das obras, como a construção de muros de contenção com população ainda em área de risco não removida. Lopes determinou na portaria que em 15 dias a Subprefeitura de Cidade Ademar e a Secretaria Municipal de Habitação apresentem todas as informações sobre a obra e sobre a desocupação da área afetada.

Também pediu que o Instituto de Criminalística forneça laudo pericial sobre o acidente e que o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, forneça informações sobre qualquer estudo, parecer ou laudo que venha a ser produzido pela obra.          

veja também