Receita apreende R$ 2 milhões em mercadorias contrabandeadas e pirateadas em SP

Receita apreende R$ 2 milhões em mercadorias contrabandeadas e pirateadas em SP

Atualizado: Quarta-feira, 17 Setembro de 2008 as 12

Receita apreende R$ 2 milhões em mercadorias contrabandeadas e pirateadas em SP

A Receita Federal e a Secretaria de Fazenda do estado de São Paulo apreenderam ontem, dia 16 de setembro, R$ 2 milhões em mercadorias contrabandeadas e pirateadas durante a Operação Anúbis. No último balanço divulgado pela assessoria de imprensa da Receita, na manhã de hoje, foram apreendidos quatro carretas com cigarros, seis automóveis e diversos produtos eletrônicos nas cidades de Bauru, São José do Rio Preto e Araçatuba. Até o momento, a Receita não soube informar quanto foi apreendido no porto de Santos e na capital e nem quantas pessoas haviam sido presas durante a operação.

De acordo com o coordenador da operação, Fábio Eduardo Boschi, cerca de dois mil agentes públicos participaram da apreensão, que envolveu uma força-tarefa formada pela Receita Federal, Ministério Público Federal, Secretaria de Fazenda e as polícias federal, militar e rodoviária.

"Existem rotas vindas do Paraguai, por rodovias, passando pelos estados do Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e também pelos portos", explicou Boschi. Segundo ele, o principal destino das mercadorias é mesmo a capital paulista. "[As mercadorias] têm como destino a capital, um grande centro consumidor", afirmou.  Segundo Boschi, as quadrilhas e organizações especializadas em contrabando e pirataria estão mudando sua forma de agir para entrar no país. "Há anos atrás, o que a gente verificava era o transporte por meio de ônibus, com o que a gente chamava de 'compristas'. Hoje, além do uso de ônibus, há a utilização de veículos com locais preparados para ocultação de mercadorias  e veículos com batedores", disse.

De acordo com ele, esses tipos de crime provocam um grande prejuízo à sociedade. "O prejuízo é enorme no sentido de lesão à sociedade, já que há mercadorias que não passaram pelos controles estatais no país e que não passaram por controles sanitários. A indústria nacional também perde muito com a entrada irregular de mercadorias no país e empregos deixam de ser gerados", afirmou.

O nome da operação é de inspiração egípcia. "Anúbis é o nome de um deus egípcio que fazia uma espécie de julgamento entre as boas e más ações. A idéia foi associar a atuação do Estado na coibição dos crimes", explicou Boschi.

De acordo com dados da assessoria da Receita Federal, em 2007 foram apreendidos R$ 1 bilhão em mercadorias no Brasil. Em São Paulo, no mesmo período, foram aprendidos R$ 235,7 milhões em mercadorias. Só no primeiro trimestre deste ano, R$ 65 milhões já foram aprendidos no estado.

veja também