MENU

Recruta capixaba volta a ser internado no Rio de Janeiro

Recruta capixaba volta a ser internado no Rio de Janeiro

Atualizado: Sexta-feira, 9 Setembro de 2011 as 12:35

Voltou a ser internado na manhã desta quinta-feira (8), o recruta da Marinha, Leonardo Gama Rodrigues, 22 anos. O capixaba havia recebido alta do Hospital Naval Marcílio Dias, no Rio de Janeiro, há apenas uma semana. Ele sentiu falta de ar e, segundo a família, o médico constatou que a situação do pulmão esquerdo dele é muito grave. A primeira internação do jovem militar durou 16 dias. Assim que recebeu alta, Leonardo Gama foi encaminhado para o Centro de Instrução Almirante Milciades Portela Alves (Ciampa).   A família do militar só soube no início da tarde de quinta-feira, que Leonardo teria de voltar ao hospital. Foi o próprio rapaz quem ligou para o irmão, o assistente de produção Leandro Gama Rodrigues, para dizer que estava sendo internado. "Ele me ligou por volta das 14h e disse que estava no hospital e teria que ficar internado de novo. Fiquei surpreso e pedi para conversar com o médico, ele (o médico) me informou sobre o estado de saúde do meu irmão e disse que seria melhor deixá-lo sob observação", disse.

Leandro disse que irmão ligou avisando que seria internado (Foto: Gabriel Lordêllo/A Gazeta)

  De acordo com Leandro, o irmão teria se queixado com ele durante uma conversa pelo telefone, na quarta-feira (7), à noite, de falta de ar. "Disse que ele deveria procurar um médico urgente e dizer o que estava sentindo, ele me falou que só podia fazer isso na parte na manhã do dia seguinte, porque o médico só fica no hospital até às 16 horas", conta Leandro.  Ainda de acordo com o irmão do recruta, as informações passadas pelo médico diziam que Leonardo apresentava algumas secreções no pulmão e para retirar essas substâncias do organismo ele precisaria de um dreno, que na primeira internação já havia sido colocado.

Volta para casa

"Já nos conformamos de que meu irmão não deve ficar curado tão cedo, se é que isso vai ser possível. Pelo que entendi do médico, o tratamento é longo e o quadro dele pode piorar a qualquer momento. Só queria ter meu irmão de volta", desabafa Leonardo.

Os familiares do jovem tem esperanças e tentam junto à Marinha trazer o jovem para o Estado, para que ele possa continuar o tratamento  próximo da família. "Para ser aceito na Marinha ele teve que fazer todos os exames aqui e não no Rio de Janeiro. Se tivéssemos condições de bancar um tratamento para ele, o traria de volta hoje mesmo". Não existe previsão para o recruta ser liberado.

Preocupação

Sem condições financeiras para acompanhar o tratamento de Leonardo Gomes, os familiares tentaram uma liberação de passagens com a Marinha. A assessoria de imprensa do órgão informou que já providenciou as passagens para a avó de Leonardo, que deve embarcar para o Rio de Janeiro nesta sexta-feira (09). A família do jovem informa que até agora não recebeu a confirmação da viagem.          

veja também