MENU

'Restrepo' e 'Winter's Bone' vencem o Festival de Sundance

'Restrepo' e 'Winter's Bone' vencem o Festival de Sundance

Atualizado: Segunda-feira, 1 Fevereiro de 2010 as 12

Os filmes americanos Restrepo e Winter's Bone conquistaram na madrugada deste domingo o Grande Prêmio do júri do Festival de Sundance. Restrepo , dos jornalistas de guerra Tim Hetherington e Sebastian Junger, mostra o inferno de um conflito armado através da vida cotidiana de um pelotão de 15 soldados americanos em uma das regiões mais perigosas do Afeganistão. Winter's Bone , de Debra Granik, retrata uma adolescente que busca seu padre, um traficante de drogas. Entre 2007 e 2008, Hetherington e Junger acompanharam o pelotão no vale afegão de Korengal, um bastião talibã na fronteira com o Paquistão. A dupla compartilhava tudo com os militares: das condições de vida espartanas, entre o enorme tédio e a constante tensão, aos ataques dos insurgentes, em meio a raros momentos de leveza. "De fato, nenhum jornalista jamais fez isto, sobretudo durante a duração de uma missão", destacou Hetherington no início do festival. "Há 22 milhões de famílias americanas com filhos, irmãos ou cônjuges que estiveram ou estão no exército e querem saber como foi o que eles viveram. Este filme mostra isso", acrescentou. "A ideia era fazer um filme apenas sobre a experiência dos soldados", explicou Junger, correspondente de guerra e escritor, autor do best-seller Mar em Fúria (The Perfect Storm ), que foi adaptado para o cinema com o ator George Clooney. "Eles deixaram que nós entrássemos em suas vidas e aceitaram que filmássemos tudo. Nunca nos esconderam nada", afirmou Hetherington. Os autores, por sua vez, também não escondem nada. Nem sequer a morte, que predomina nos primeiros minutos do documentário, com um ataque dos talibãs que custou a vida do médico do pelotão, Juan Restrepo, cujo nome será usado por seus companheiros para batizar uma posição avançada tomada dos insurgentes. Apesar do perigo e da extrema violência de algumas situações, os autores nunca deixaram de filmar. "Só desliguei a câmera uma vez, quando um homem começou a chorar enquanto falava de um de seus amigos, que havia morrido", admitiu Junger. Já na categoria filme estrangeiro de ficção, o Grand Prêmio foi para o australiano Animal Kingdom , de David Michôd, que segue os passos de uma menina nas mãos de uma família de familia de trapaceiros de Melbourne. O prêmio para documentário estrangeiro foi para o dinamarquês The Red Chapel , de Mads Brügger, em que um grupo de jornalistas se faz passar por uma companhia de teatro para se infiltrar no regime da Coreia do Norte. O peruano Javier Fuentes León e seu Contracorriente levou o prêmio do público de melhor filme estrangeio de ficção. "Estes prêmios celebram a diversidade do programa do festival este ano", assinalou o diretor de programação, Trevor Groth. Mais de 110 filmes foram apresentados na 26ª edição do festival, inclusive a estreia de Segredos da Tribo , de José Padilha. O Sundance Festival foi criado pelo ator e diretor Robert Redford para ser um contraponto com a produção comercial de Hollywood e uma vitrine para o cinema independente. Grande Prêmio do Júri

Winter's Bone , de Debra Granik Grande Prêmio do Júri - Documentário americano

Restrepo , de Tim Hetherington e Sebastian Junger Grande Prêmio do Júri - Ficção estrangeira

Animal Kingdom , de David Michôd (Austrália) Grande Prêmio do Júri - Documentário estrangeiro

The Red Chapel , de Mads Brügger (Dinamarca) Prêmio Especial do Júri - Ficção americana

Sympathy for Delicious , de Mark Ruffalo Prêmio Especial do Júri - Documentário americano

GasLand , de Josh Fox Prêmio Especial do Júri - Documentário estrangeiro

Enemies of the People , de Thet Sambath e Rob Lemkin (Camboja-Grã-Bretanha)

veja também