MENU

Revista Exame destaca infraestrutura de Roraima

Revista Exame destaca infraestrutura de Roraima

Atualizado: Terça-feira, 2 Fevereiro de 2010 as 12

Roraima figura na última edição do anuário da revista Exame (2009-2010), que tem circulação nacional, em quarto lugar entre os estados que estão melhorando de forma mais rápida a qualidade de infraestrutura. Na mesma lista, o vizinho Amazonas aparece em décimo lugar. Além da boa posição nesse estudo exclusivo, o estado, comparando com a pesquisa anterior feita pela mesma publicação, alcançou melhora substancial dos indicativos socioeconômicos.  

No estudo divulgado, a Fundação Dom Cabral, ligada à Universidade Católica de Minas Gerais, sob a coordenação do pesquisador Paulo Tarso de Resende, analisou 30 mil dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), da Confederação Nacional dos Transportes (CNT), e do Ministério das Cidades, entre outras instituições, sobre energia, combustíveis, saneamento básico, telecomunicações e transportes.

Entre os indicadores sociais, Roraima saiu do 21º lugar na pesquisa anterior, para a 13ª colocação no ranking do Produto Interno Bruto per capita, índice que divide todas as riquezas produzidas pelo estado pelo número populacional. Roraima passou de R$4.881 para R$9.075. A mortalidade infantil, cálculo feito a partir de cada 100 pessoas nascidas vivas, caiu seis pontos percentuais, ficando em 19, índice igual ao do estado do Rio de Janeiro e menor que o de Minas Gerais, que é de 20 mortes para cada 100 nascidos vivos.

No indicador de expectativa de vida, o estado ganhou quatro pontos percentuais, mas permaneceu na 22ª posição, a mesma da pesquisa anterior. O cálculo é feito considerando a esperança de vida ao nascer, que em Roraima é de 70 anos. As maiores médias nacionais estão entre 70 e 76 anos, e Roraima ficou à frente de estados mais desenvolvidos como Pernambuco, e outros da região Nordeste.

A taxa de analfabetismo permaneceu estável em 9,3%, o que colocou Roraima em 13º lugar no ranking nacional. Essa taxa é a mesma do estado de Goiás e menor que a de todos os estados da região Nordeste.

Apesar de o estado continuar na última posição, considerando os indicadores econômicos, com um PIB de 3660 milhões, houve um aumento real do Produto Interno Bruto 2006/2007 de 6,3%, quinto maior entre as unidades da federação. A participação de Roraima no Produto Interno Bruto do Brasil ganhou duas posições no ranking, saindo da 27ª, para a 25ª posição.

UM SALTO IMPORTANTE - Dados importantes para medição dos Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) de qualquer nação e qualquer estado, o saneamento básico de Roraima está entre os melhores do país. Quando são avaliados domicílios com abastecimento de água por rede geral, o estado alcança o índice de 85,7%, o que o coloca em oitavo lugar.

Avaliados os domicílios urbanos com abastecimento de água por rede geral, os índices sobem para 97,1%, quinta colocação, à frente de estados do Sul e do Sudeste, como o Rio Grande do Sul, que aparece no 11º lugar, com 94,1%, e Rio de Janeiro, na 18ª posição, com 89,1%.

Quando são estimados os domicílios com rede de esgoto ou fossa séptica, o estado alcança a quarta colocação, com 86,1%. Nesse quesito, Roraima fica à frente de dois estados da região Sul, uma das mais ricas do país. Santa Catarina, na quinta posição, com 81,6%, e o Paraná, em décimo lugar, com 72,8%.

Em outros quesitos de infraestrutura, Roraima permanece em posições intermediárias. Uma estrutura razoável de aeródromos, ao todo nove, deixa o estado em 20º lugar, a malha rodoviária de pouco mais de sete mil quilômetros, com nenhuma rodovia em regime de concessão, o que é prática comum no Sul e no Sudeste, exige investimentos como na maioria do Brasil.

O estado ainda é o menor consumidor de energia do país, e pode ser favorecido nos próximos anos, pois a região amazônica, segundo a pesquisa, deve continuar a concentrar a maior parte da expansão do parque brasileiro de geração de energia. Rondônia terá duas novas hidrelétricas, Santo Antônio e Jirau, e a licitação da hidrelétrica de Belo Monte está prevista para acontecer neste início de ano.

Obs.: Os dados estão disponíveis no site www.exame.com.br/infraestrutura

Por: Albani Mendonça

veja também