MENU

Rio de Janeiro inaugura nova unidade de combate à dengue

Rio de Janeiro inaugura nova unidade de combate à dengue

Atualizado: Terça-feira, 13 Janeiro de 2009 as 12

A Sala de Situação da Dengue Verão 2009 foi inaugurada ontem, 12 de janeiro, na sede Defesa Civil do Estado do RJ, no município do Rio. O objetivo, informou o  superintendente de Vigilância em Saúde  da Secretaria Estadual de Saúde e Defesa Civil, Vítor Berbara, é  unificar as ações de vigilância específicas para o monitoramento da dengue durante os meses do verão.

Resultado de esforço conjunto dos governos federal,  estadual e municipal,  a Sala de Situação da Dengue reúne os Centros de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs), com foco em dengue, do Ministério da Saúde, da Secretaria Estadual de Saúde e Defesa Civil e da Secretaria Municipal de Saúde do Rio do Janeiro.

Com a inauguração da Sala de Situação da Dengue, o sistema público de saúde pretende dar resposta mais rápida a determinadas situações que surgem em algumas localidades, acrecentou Berbara.

Como as informações são trabalhadas diariamente, isso possibilitará que as autoridades possam atacar com mais agilidade qualquer problema que for identificado em uma região.  A Sala de Situação da Dengue terá capacidade  também de determinar variações no comportamento geográfico e epidemiológico da doença de forma mais rápida  que o sistema convencional de vigilância em saúde.

Sete  técnicos, dos quais três da esfera estadual e  quatro do município e da União, sendo dois  de cada órgão, trabalharão na  Sala de Situação da Dengue em turnos de 40 horas semanais. "E ficarão também de sobre-aviso  durante a noite e nos fins-de-semana", revelou o superintendente.

Ele  afirmou que  em relação à dengue, o estado do Rio de Janeiro não está atravessando nenhuma situação anormal. Apenas casos esporádicos, "o que é normal, porque a dengue é uma doença endêmica. E não temos  em nenhuma das regiões visto nenhuma anormalidade  em relação  ao padrão epidemiológico".  Disse que   a  unidade inaugurada hoje terá mais  capacidade de pegar os dados  e  analisá-los para que a resposta seja dada com maior rapidez.

Berbara esclareceu que, até o momento, existem apenas ameaças de dengue, em especial no norte e noroeste fluminenses, por causa das  recentes enchentes. Lá, as chuvas aumentam a possibilidade de se ter uma reprodução do mosquito aedes aegipty e,  em conseqüência, o surgimento de casos novos.

O superintendente lembrou que, além de existir hoje maior entrosamento entre os níveis de governo para combate à dengue no país, o planejamento que resultou  na criação dessa nova unidade teve início no meio da epidemia do ano passado. "E nós estamos colocando em prática algumas decisões que foram tomadas durante esse planejamento. A unidade-resposta é uma delas".

Berbara afirmou que a população não deve  esquecer os cuidados necessários para evitar a dengue. "Principalmente nesta época de verão, quando ocorrem na região Sudeste chuvas  intensas, possibilitando a  proliferação de focos do mosquito, a gente deve  estar sempre lembrando que o mosquito gosta de se  reproduzir dentro das nossas casas e nos locais de trabalho. Então, a gente deve evitar qualquer coleção de líquido que  propicie um ambiente para essa reprodução do  mosquito".

Postado por: Claudia Moraes

veja também