Rio de Janeiro terá fim de ano seguro, diz ministro da Justiça

Rio de Janeiro terá fim de ano seguro, diz ministro da Justiça

Atualizado: Sexta-feira, 3 Dezembro de 2010 as 3:33

O ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, afirmou nesta sexta-feira (3) que a atuação das polícias e das Forças Armadas contra o crime já é suficiente para garantir a segurança dos turistas que pretendem visitar o Rio de Janeiro no final do ano.

“O governador mantém permanente contato conosco e a situação está sendo avaliada todos os dias. Certamente o que tem sido feito no Rio já garante maior segurança à população e aos turistas. O Rio vai ter um grande final de ano e mais importante do que isso é a estrutura de um projeto de paz que veio para ficar”, afirmou Barreto. Segundo Barreto, o apoio federal no combate ao tráfico de drogas no Rio de Janeiro vai continuar enquanto houver necessidade. “O Ministério da Justiça está com a Polícia Rodoviária Federal, com a Polícia Federal no Rio de Janeiro e eles continuarão enquanto for necessário para a pacificação do Rio e a manutenção do principal projeto de segurança que é essa pacificação urbana”, disse o ministro.

Na manhã desta sexta-feira, Barreto participou da entrega do Prêmio Innovare, no Supremo Tribunal Federal. Em sua sétima edição, a iniciativa premia boas práticas no Poder Judiciário que contribuem para modernizar e melhorar a qualidade dos serviços da Justiça ao cidadão. Os temas deste ano foram “Justiça sem Burocracia” e “Acesso do Preso à Justiça”.

Os prêmios foram entregues por ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e personalidades do meio jurídico. A edição deste ano teve 350 concorrentes. Foram premiados o desembargador Sergio Murilo Rodrigues Lemos, (projeto Fidelis de gravação audiovisual de audiências), a juíza federal Cíntia Menezes Brunetta (Execução Bate-Pronto), o promotor de Justiça Luciano Badini Martins (atuação para proteção do meio ambiente), a defensora pública da União Luciene Strada de Oliveira (erradicação do escalpelamento), o advogado Bruno Grego dos Santos (desburocratização na transação extrajudicial) e o juiz Erivaldo Ribeiro dos Santos (Programa Começar de Novo).

veja também