MENU

RJ tem mais de duas mil pessoas na fila por um transplante de córneas

RJ tem mais de duas mil pessoas na fila por um transplante de córneas

Atualizado: Quinta-feira, 19 Agosto de 2010 as 3:17

Cerca de 2.300 pessoas que estão na fila por um transplante de olhos no estado do Rio de Janeiro vivem um drama. O estado chegou a ficar um ano sem banco de olhos. Apenas um banco está funcionando há um mês em Volta Redonda, no Sul Fluminense, mas não deve resolver o problema.

De um lado, a família que pretendia doar as córneas de um jovem de 21 anos. Do outro, o pedreiro Manoel, que enxerga muito pouco do olho esquerdo e espera na fila do transplante há quatro anos. O tio do jovem , Henrique Moreira diz que, de acordo com a equipe do Rio Transplante, as córneas poderiam ter sido doadas.

“Mas não foram por uma questão burocrática: a não existência de um banco de olhos no Rio de Janeiro”, disse o tio do rapaz.

Durante duas décadas, o banco de olhos do Hospital Geral de Bonsucesso (HGB), no subúrbio, foi o único do estado. Mas desde julho de 2009, as portas estão fechadas.

“Estamos com um impasse grande de dívida com o governo e isso impede que a gente tenha o credenciamento para funcionar”, disse a oftalmologista Maria Alice Rodrigues Correa.

As instalações têm uma série de salas vazias e equipamentos caros cobertos. Um investimento que chega a R$ 300 mil, mas que não pode ser utilizado.

Sem bancos de olhos, o transplante tem de ser feito com córneas importadas de outros estados ou de fora do país, o que encarece e dificulta o processo. Isso é uma das razões para o pequeno número de transplantes realizados nos últimos anos no RJ. Em 2009, foram apenas 67. Este ano, até agora, 27.

No mesmo período, o estado de São Paulo fez 2.881 transplantes, quase 1.000% a mais. Lá existem dez bancos de olhos.

Postado por: Thatiane de Souza

veja também