MENU

Robô irá ajudar no resgate de vítimas presas em pedreira em Santos

Robô irá ajudar no resgate de vítimas presas em pedreira em Santos

Atualizado: Quarta-feira, 13 Abril de 2011 as 8:22

Um robô equipado com uma câmera irá ajudar no planejamento do resgate de dois trabalhadores que desapareceram após um deslizamento de uma pedreira de Santos, no litoral de São Paulo, ocorrido nesta terça-feira (12). Outros dois operários conseguiram escapar com vida. Mais de 50 toneladas de pedra e rocha foram abaixo no acidente.

O risco de novos deslizamentos impediu que o trabalho de resgate fosse iniciado na terça. Nesta quarta-feira (13), técnicos do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) começam a definir a estratégia de resgate. A ação vai exigir cautela e muito trabalho. As pedras que estão por cima precisarão ser detonadas.

“A Defesa Civil está mandando o pessoal do Gate, está mandando uma câmera com robô para fazer as imagens, para mostrar qual processo é mais viável para o socorro às vítimas que estão nos escombros”, diz Ruth Gusmão, representante da empresa responsável pela pedreira.     A estrada de serviço utilizada pelos trabalhadores na pedreira quase desapareceu. Parentes dos trabalhadores soterrados acreditam que eles ainda possam ser encontrados com vida. “A máquina que ele trabalha é bem resistente. Temos esperança de estar vivo”, conta Wagner Diniz, cunhado de uma das vítimas.

O motorista Cleiton Revertio dos Santos, de 28 anos, que estava em um caminhão que ficou pendurado no rochedo no deslizamento e conseguiu escapar, disse que entrou em desespero ao ver que o chão havia sumido. O barulho do deslocamento dos cerca de 50 mil toneladas de rochas foi “ensurdecedor”, segundo ele.

“Nós estávamos parados, carregando o caminhão. De repente, eu vi o chão sumir na minha frente, desabar tudo. Entrei em desespero, porque não tinha para onde ir. Fez um estrondo gigantesco, ensurdecedor”, contou à equipe de reportagem do G1 . Junto com um colega que trabalhava com ele, o motorista escalou um morro para escapar. “Nós escalamos o morro no sentido das árvores para escapar e chegamos às trilhas que levam ao meio da pedreira”, disse.      

veja também