MENU

Rodoanel não ficará saturado com restrições nas marginais, diz governo

Rodoanel não ficará saturado com restrições nas marginais, diz governo

Atualizado: Segunda-feira, 2 Agosto de 2010 as 9:23

O fluxo de caminhões que irá se deslocar da Marginal Pinheiros e da Avenida dos Bandeirantes para o Trecho Sul do Rodoanel com as novas restrições às duas vias da capital paulista não irá saturar o anel viário, segundo informou na manhã desta segunda-feira (2) o governador de São Paulo, Alberto Goldman. Segundo ele, a via está preparada para receber o número maior de veículos de carga, que não podem circular entre 5h e 21h de segunda a sexta no centro expandido da capital paulista.

“Com as restrições nós vamos ter um volume maior de veículos aqui no Rodoanel, que vai cumprir exatamente o seu papel, de retirar os veículos de carga de dentro da cidade”, disse Goldman durante evento para divulgar o balanço de quatro meses de operação do Trecho Sul. “Não está prevista saturação, esse aumento é relativamente pequeno em relação à capacidade desse Rodoanel.” A restrição vale na Avenida Jornalista Roberto Marinho, e também será aplicada aos sábados das 10h às 14h. Na Marginal Pinheiros, a proibição é entre as pontes do Jaguaré e do Morumbi. Nos primeiros 30 dias, não haverá aplicação de multas, apenas orientação.

De acordo com a Secretaria de Estado dos Transportes, em quatro meses de operação o Trecho Sul do Rodoanel recebeu 5,6 milhões de veículos – sendo 40% caminhões. De acordo com a pasta, nos dias úteis o fluxo de veículos de carga chega a 57%. O secretário estadual de Transportes, Mauro Arce, negou que haja uma baixa adesão à rodovia. “A adesão é no mínimo o dobro do que tem de caminhão nas estradas. Em uma estrada normal não passa de 20%, na Marginal Tietê cerca de 15% são caminhões”, afirmou.

Fiscalização

Apesar de a restrição aos caminhões ainda não valer multa nos próximos 30 dias, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) vai orientar os motoristas e espera uma adesão crescente. “A expectativa é de que com o anúncio na semana passada a gente tenha a adesão de forma gradativa. Estamos instalando faixas nas vias principais de acesso às vias que tiveram a restrição. Estamos nos comunicando com todas as empresas de caminhões e VUCs cadastradas na cidade de São Paulo”, explicou o secretário municipal de Transportes, Marcelo Cardinale Branco.

Segundo ele, a fiscalização será feita principalmente por meio dos 2,4 mil agentes da CET que atuam na cidade. Radares que identificam as placas dos veículos também serão instalados gradativamente. “Mas a idéia não é multar, e fazer com que essas empresas utilizem as outras rotas, as rotas alternativas.”

O secretário também afirmou que a Prefeitura irá analisar o comportamento dos motoristas em outras vias da cidade com grande fluxo de caminhões, como a Marginal Tietê e as avenidas do Estado e Juntas Provisórias para verificar a possibilidade de novas restrições. “Sempre no sentido de que os caminhões que podem utilizar outras rotas não utilizem as vias da cidade”, disse Branco

Segurança no Rodoanel

Bastante atacada pelas empresas de carga, a questão da falta de segurança no Trecho Sul do Rodoanel foi minimizada pelo governador e pelo secretário de Estado dos Transportes. Os dois afirmaram que não houve nenhuma ocorrência de roubo de carga nos quatro meses de operação. Eles também admitiram problemas com o sinal de celulares – mas negaram a falta de sinal dos satélites para GPS.

“O sinal depende da operadora, e celular não faz parte do sistema de segurança, realmente tem uma cobertura irregular, até mesmo dentro da cidade. O que é um absurdo total é falar que o satélite não pega. Aqui em particular é rota das aeronaves que descem em Congonhas, é realmente uma forçada de barra”, explicou Mauro Arce.

O governador Goldman afirmou que já pediu às empresas de telefonia celular que reforcem o sinal na região do Rodoanel.

veja também