MENU

Rua do Centro do Rio permanece fechada após explosão de bueiro

Rua do Centro do Rio permanece fechada após explosão de bueiro

Atualizado: Quarta-feira, 6 Julho de 2011 as 8:40

                                  A Rua da Assembleia, no Centro do Rio, permanece com o trecho entre a Rua da Carioca e a Avenida Rio Branco interditado, na manhã desta quarta-feira (6), após a explosão de um bueiro e o deslocalmento das tampas de outras três caixas subterrâneas. As informações são do Centro de Operações Rio. Durante a madrugada, a Light trabalhou na manutenção dos bueiros. A CEG, no entanto, ainda precisa fazer nova vistoria na região para verificar se não há possibilidade de novos vazamentos.

Já na Rua Sete de Setembro, que estava com uma área isolada em frente ao Teatro João Caetano, onde um outro bueiro também explodiu na terça-feira (5), foi liberada nesta manhã.

Fumaça em Copacabana

Outros casos como este têm assustado quem anda pelas ruas do Rio. Na noite de terça-feira (5), o trânsito foi liberado na Rua Dias da Rocha, em Copacabana, na Zona Sul, onde uma faixa da via estava interditada após sair fumaça de um bueiro, na esquina com a Rua Barata Ribeiro. De acordo com a Light, concessionária responsável pelo fornecimento de energia na região, o problema foi causado por um defeito num cabo de baixa tensão. A Light informou, ainda, que não houve explosões ou deslocamento de tampa.

Também na noite de terça, bombeiros foram chamados para um problema em bueiro na Rua das Laranjeiras, em Laranjeiras, na Zona Sul.       Multas

A Secretaria municipal de Conservação e Serviços Públicos expediu nesta terça-feira (5) 13 multas contra a Light por explosões em bueiros. Essas multas referem-se a danos ao patrimônio, desde a criação da comissão de acompanhamento da Prefeitura em abril passado.

As multas somam R$ 10.282,80. Foram seis multas por danos ao patrimônio público, seis por execução de reparo em vias públicas sem licença, causando interrupção das vias, e uma por esgotamento irregular de águas pluviais.

Além disso, a Light foi intimada a fazer a legalização das intervenções em vias públicas, sob pena de incorrer em multa diária. A Prefeitura do Rio também diz que vai obrigar a empresa concessionária Light a recuperar os danos causados em vias públicas. Já o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) informou, na noite desta terça, que a Light aceitou contraproposta da redação do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) sobre as multas por cada bueiro que explodir. O documento será assinado nesta quarta-feira (6), ainda segundo a assessoria do MP.

A concessionária vai pagar multa de R$ 100 mil pora cada explosão de bueiro que cause morte, lesão corporal (leve, grave ou gravíssima), e/ou dano ao patrimônio público ou privado.

Notícia crime contra a Light

Na tarde desta terça (5), a Procuradoria Geral do Município (PGM) do Rio de Janeiro apresentou notícia crime ao procurador-geral de Justiça do Ministério Público estadual sobre "os fatos que envolveram as explosões de bueiros da concessionária Light".

De acordo com a nota, "a PGM vem, desde o início do ano, notificando a Light e a Agência Reguladora Federal - ANEEL para regularizar a situação, fato que, frente aos últimos acontecimentos, não trouxe os resultados necessários".

A PGM afirmou ainda que "por ser inadmissível que a população carioca continue exposta a esse perigo" e com o bjetivo de adotar medidas penais que possam ser aplicáveis a esse tipo de conduta da concessionária, o Ministério Público foi acionado por ser "o único órgão competente para ajuizar ações penais".

Alerj pede liminar em ação contra a Light

Também nesta terça, a Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) entrou com um pedido de liminar (decisão provisória) referente à ação que move, desde abril, contra a Light pelas explosões de bueiros na cidade.

A ação pede que a empresa seja obrigada a adequar suas instalações e equipamentos localizados na rede subterrânea e a apresentar declaração técnica da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) atestando a segurança das instalações e equipamentos. Além disso, a ação pede que a concessionária se responsabilize pelos danos causados pelas explosões ocorridas.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, disse nesta terça que as explosões de bueiros estão causando um clima de pânico na cidade. "Chegamos no limite. Só cabe agora uma ação criminal contra a direção da Light, contra a Light. É inaceitável o que está acontecendo (...) Eu até desconfio que possa estar havendo sabotagem, mas o fato é que a população do Rio de Janeiro não tem nada a ver com isso. As pessoas não estão conseguindo andar pelas ruas, e está começando a gerar um clima de pânico."            

veja também