MENU

Ruas em distrito de Nova Friburgo viram corredores de barro e lama

Ruas em distrito de Nova Friburgo viram corredores de barro e lama

Atualizado: Segunda-feira, 17 Janeiro de 2011 as 1:39

Os postes derrubados no meio das ruas anunciam a destruição em Riograndina, distrito de Nova Friburgo, um dos locais mais atingidos pela chuva na Região Serrana. As ruas arborizadas e calmas do vilarejo se transformaram em corredores de lama e barro.

Em muitos locais, o transporte é feito a pé ou em carros com tração nas quatro rodas. A casa paroquial virou abrigo e ponto de distribuição de água e alimentos. Segundo moradores, o distrito ficou submerso após o transbordamento do Rio Grande.

A dentista Hermínea Lehrer conta que a água do rio entrou pela janela e alagou a cozinha e o quarto, que ficam no subsolo da casa.

“Perdemos tudo, a minha mãe tinha acabado de pagar o fogão em dezembro e agora vai ter que comprar outro. A água também invadiu o guarda-roupa do quarto e tudo foi destruído. A chuva em Riograndina afetou tanto as casas de encostas como aquelas que ficavam em locais planos”, explica a dentista.   Hermínea chora ao pensar como recomeçar a vida. Além de perder os móveis da casa, ela diz que luta há 10 anos para ser indenizada após ser queimada pelos fogos no réveillon da Praia de Copacabana, em 2001.

“Como pode tanta tragédia atingir uma só pessoa? Talvez, seja para mostrar que posso suportar muita dor e dar a volta por cima”, desabafa.

A chuva também deixa lembranças tristes para o aposentado Antonio Fernandes, de 86 anos. A casa às margens do Rio Grande ficou destruída.   “Eu estava dormndo na sala e quando acordei a água já estava sobre mim e os viznhos gritavam pra eu sair. Saí e fiquei na casa de um amigo, quando voltei já estava tudo destruído. Perdi meus documentos, histórias de toda uma vida”, lamenta.

Para tentar reconstruir a cidade, os moradores de Riograndina organizaram um mutirão de limpeza para retirar a lama das casas e lojas. Alguns comerciantes voltaram a abrir as portas na manhã desta segunda-feira.

Os temporais na região já deixaram mais de 600 mortos e causaram estragos em pelo menos sete municípios.    

veja também