MENU

Às vésperas de votação, presidente do Corinthians visita Câmara de SP

Às vésperas de votação, presidente do Corinthians visita Câmara de SP

Atualizado: Terça-feira, 21 Junho de 2011 as 12:56

O presidente do Corinthians, Andrés Sanches, fez uma visita informal nesta terça-feira (21) à Câmara dos Vereadores de São Paulo. Nos próximos dias, a Casa deve analisar o projeto de lei que prevê incentivos fiscais de até R$ 420 milhões para a construção da arena do clube em Itaquera, na Zona Leste da capital, que deverá receber jogos da Copa de 2014. O projeto precisa ser aprovado até 1º de julho, quando começa o recesso parlamentar.

Quando questionado sobre qual era o objetivo da visita, ele disse apenas que era “conhecer a Câmara”. Na sexta-feira (17), o presidente do Corinthians afirmou que sem o dinheiro dos incentivos fiscais não será possível construir um estádio com a capacidade de sediar a abertura da Copa do Mundo.     “Sem o dinheiro dos incentivos fiscais não tem como ter a abertura da Copa”, afirmou Sanches, durante a visita de vereadores ao canteiro de obras em Itaquera.

Sanches, que visitou o gabinete de alguns vereadores nesta manhã, só deve conversar com os jornalistas no início da tarde.

Sem pressão

O projeto pode ser votado na quarta-feira (22), segundo o presidente da Câmara, José Police Neto, que é favorável à aprovação dos incentivos para a construção da nova arena. A visita de Sanches não é vista por Police Neto como uma maneira de fazer pressão pela aprovação do projeto. “[A visita] mostra o respeito dele à Casa”, disse.

De acordo com Police Neto, para conceder o incentivo fiscal, não é necessária a discussão de uma nova lei. “A lei específica já existe. O que está sendo colocado é para a construção desse tipo de equipamento. Você já tem uma legislação que dá suporte ao desenvolvimento da Zona Leste. O que não tinha era para um equipamento como esse”, afirmou. “A gente está discutindo o desenvolvimento da Zona Leste. O estádio é uma das peças. Você não está falando de um time de futebol nem do estádio. Você está falando de um processo de desenvolvimento que há mais de 10 anos vem sendo estudado. A Copa e o estádio são uma oportunidade para aquela região”, declarou.            

veja também