MENU

Sabonetes levam empreendedorismo à Cidade de Deus, no Rio

Sabonetes levam empreendedorismo à Cidade de Deus, no Rio

Atualizado: Sexta-feira, 1 Abril de 2011 as 8:52

Pequenos sabonetes e sabões coloridos estão ajudando a transformar a vida de seis mulheres e de parte da Cidade de Deus, comunidade pobre da Zona Oeste do Rio de Janeiro, que ganhou notoriedade mundial após ter a história retratada no filme de mesmo nome. Nesta quinta-feira (31), foi inaugurada a fábrica e loja de sabões e sabonetes artesanais Bolhas Coloridas, um pequeno empreendimento criado e comandado por seis moradoras da comunidade, com financiamento da multinacional do petróleo Chevron e execução do ELAS - Fundo de Investimento Social.

Os sabonetes artesanais são produzidos com várias essências. (Foto: Bernardo Tabak/G1)

  O projeto surgiu a partir do programa “Elas em Movimento”, criado pela ELAS em parceria com a Chevron, e que busca estimular o espírito empreendedor em mulheres de baixa renda. “O objetivo é desenvolver empreendedoras, que dêem continuidade ao negócio e tornem-se exemplo na comunidade onde moram”, explica Lia Blower, gerente de Comunicações e Relações Institucionais da Chevron. “Cerca de 30% das mulheres brasileiras são chefes de família. É uma necessidade e um sonho delas, que não precisam ficar dependentes dos maridos”, acrescenta Madalena Guilhon, coordenadora-geral do ELAS.

Desde a concepção, a Bolhas Coloridas empregou modernos conceitos de negócio, como sustentabilidade, preocupação ambiental, reciclagem e integração com a comunidade do entorno. “Nós primeiro fazemos a conscientização na Cidade de Deus, com panfletos, carro de som e no jornal da comunidade. Assim, os moradores separam o óleo de cozinha usado, que é a nossa matéria-prima principal, e nos entregam”, conta Natasha Firmino da Silva Alves, de 20 anos. Em seguida, em um maquinário instalado nos fundos da loja, o óleo é devidamente peneirado e limpo para se transformar em sabão, para uso doméstico, e sabonetes de uso pessoal. O preço varia entre R$ 0,80 e R$ 2.

Projeto resgata sonhos e cidadania

Ao todo, a Chevron investe R$ 420 mil por anos em projetos executados pela ELAS, sendo que R$ 50 mil deste total são utilizados como aporte inicial nos empreendimentos. “Cada passo é monitorado, desde a capacitação para o negócio, até a escolha do local e das instalações”, diz Lia. “E os nossos projetos recebem acompanhamento constante”, emenda Madalena.

Maria Lúcia chora e abraça forte a capitã da PM Alessandra Carvalhaes. (Foto: Bernardo Tabak/G1)

  “O pessoal da comunidade está interessado, querendo saber como funciona. Muitos deles nunca viram nada voltado para o meio ambiente”, contou Maria Lúcia da Silva Gomes, uma das sócias. “Muitas mulheres da Cidade de Deus tiveram os sonhos perdidos, enterrados. A UPP (Unidade de Polícia Pacificadora da Polícia Militar) nos trouxe segurança e permitiu a entrada desse programa. E nós, mulheres da Cidade de Deus, fomos alcançadas por esse projeto”, acrescentou.

“Em alguns momentos, eu pensei em desistir. Mas disse pra mim mesma: ‘Nós somos mulheres e vamos lutar’”, recorda Miriam Soares Firmino, outra das sócias da Bolhas Colorida e mãe de Natasha. A capitã da PM Alessandra Carvalhaes, comandante da UPP do Morro da Formiga, compareceu à inauguração representando o coronel Robson Rodrigues, comandante-geral das UPPs. “Não desistam dos seus sonhos. Vocês estão construindo cidadania na Cidade de Deus”, ressaltou a capitã. “Agora, cada vez mais vamos multiplicar o sabão”, finalizou Miriam.      

veja também