Sala da Mulher reúne familiares em palestra contra a pedofilia

Sala da Mulher reúne familiares em palestra contra a pedofilia

Atualizado: Terça-feira, 29 Setembro de 2009 as 12

Conscientizar a família sobre um dos mais graves distúrbios sociais que se manifesta no seio da sociedade, a pedofilia.

Este foi o tema difundido em palestra, na última sexta-feira, 25 de setembro, pela coordenadora da Sala da Mulher da Assembleia Legislativa, Janete Riva [foto]. O evento aconteceu no ginásio esportivo da Escola Historiador Rubens de Mendonça, Cohab São Gonçalo, bairro periférico da zona Sul de Cuiabá.

Pedofilia é o desvio sexual caracterizado pela atração por crianças, com as quais os portadores dão vazão ao erotismo pela prática de obscenidades ou de atos libidinosos.

A palestra 'Protegendo a Criança e o Adolescente' - Diga não á Pedofilia, ao Abuso Sexual e ao Silêncio que destrói -, proferida por Janete, revelou a necessidade do enfrentamento que todos devem assumir no dia a dia dos filhos dentro de casa, na escola, na rua.

O tema, complexo por natureza, reuniu crianças, adolescentes, jovens, idosos e externou dados catalogados pelo Conselho Tutelar da região do Coxipó. Segundo, Cledinei José Mendes, conselheiro coordenador, de 2005 a 2009 houve redução dos casos de abusos provocada pelas formas de denuncia, contudo Mendes alerta para que continuem agindo desta forma, que é uma maneira de mitigar as ações dos agressores.

Segundo Mendes, no Coxipó existem treze pontos de prostituição, no São Gonçalo, dois. Ele afirma existir também diversos pedófilos. "Os pais precisam cuidar de seus filhos, pois eles podem ser vitimados a qualquer instante", alerta.

Janete Riva conclamou os moradores ao engajamento das campanhas e adoção de práticas contra a pedofilia, ao abuso e a violência sexual. Ela lembrou que a Sala da Mulher e o Ministério Público Estadual (MPE) lançaram dia 16 de setembro a Campanha de Combate a Pedofilia e ao Abuso Sexual Infanto-Juvenil envolvendo o Centro Universitário Unirondon e Faculdade Instituto Cuiabano de Educação (ICE), que estão capacitando universitários para atuarem como multiplicadores. Inicialmente, a Sala e o MPE promovem palestras, fato que será disseminado pelos formandos.

Estatísticas apontam que 80% dos casos ocorrem entre crianças de 2 a 10 anos de idade. No Brasil a cada oito minutos uma criança é abusada. O ano passado contabilizou 32.588 denuncias, ou seja, 89 ao dia para um percentual de 135% de crescimento.

"Denunciar é um modelo de acabar com o silêncio, que destrói", sintetiza a coordenadora e observa, referindo-se as sequelas eternizadas nas vitimas de agressão: "Já ouvimos falar de todo tipo de cirurgia, mas nunca ouvimos dizer que há cirurgia para o psicológico".

De acordo com Janete, é imprescindível que a sociedade se conscientize da importância da denúncia. "É necessária a colaboração de todos. A pedofilia está dentro das nossas próprias casas e o silêncio a perpetua. Por isso é preciso denunciar, porque o abusador não se sente ameaçado enquanto não for denunciado", finaliza.

veja também