MENU

Salvador receberá investimentos em infraestrutura para a Copa 2014

Salvador receberá investimentos em infraestrutura para a Copa 2014

Atualizado: Terça-feira, 27 Outubro de 2009 as 12

A Copa de 2014 será sediada por doze cidades brasileiras. Em Salvador, a maré de investimentos transformará pelo menos cinco projetos em obras estruturantes para os jogos e após o evento. Esses preparativos e os desafios da cidade foram apresentados na última segunda-feira durante o 5º Fórum Legislativo Copa 2014.

A Secopa, secretaria criada para gerenciar e acompanhar o planejamento e a gestão local de obras para a Copa, finaliza o Plano Diretor que define os preparativos para o Mundial. O documento aponta a recuperação do estádio Octávio Mangabeira, popularmente conhecido por "Fonte Nova", a qualificação do setor turístico, os investimentos em mobilidade e acessibilidade urbana, o fortalecimento da rede de atendimento à saúde e a melhoria da segurança pública como prioridades das áreas governamentais.

As necessidades de melhoria identificadas em Salvador, segundo o ministro do Turismo, Luiz Barretto, são desafios nacionais. "A Copa não é a solução para todos os nossos problemas, mas preenche carências que sistematicamente trabalhamos para amenizar. Com os jogos, esse processo se acelera no Brasil inteiro e provoca uma repercussão imediata para as sedes e o entorno, numa grande onda de reestruturação urbana", observou.

O debate de prioridades, segundo Barretto, inclui a criação de financiamentos com prazos estendidos e juros compatíveis tanto com a capacidade das prefeituras quanto das pequenas e médias empresas brasileiras, base da cadeia produtiva do turismo. Ele afirmou que para o ministério, a iniciativa privada e gestão governamental devem se articular por um projeto comum.

"Enquanto o governo trabalha o eixo da mobilidade, nós pensamos a revitalização da infraestrutura turística. Enquanto as empresas investem na modernização de hotéis, nós trabalhamos pela ampliação da rede hoteleira, pela qualificação de profissionais e empresas, e pela unificação das mensagens de promoção e marketing do país. Os projetos se complementam", disse Barretto, ao citar os eixos estratégicos de trabalho do MTur pela Copa.

De acordo com o governador do estado da Bahia, Jaques Wagner, Salvador foi a segunda cidade do país a lançar edital para a reconstrução de um arena esportiva. No caso da capital baiana, o novo estádio da Fonte Nova. "A cidade está cumprindo a cronologia de obras prevista pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol). Mais de cem interessados, entre grupos nacionais e internacionais, já acessaram o conteúdo do edital. Nosso ritmo de trabalho é esse; vamos cumprir à risca os prazos", declarou Wagner. O processo licitatório será aberto em dezembro deste ano, o cronograma obras fica pronto em fevereiro de 2010 e o início das obras está previsto para março do ano que vem.

A nova arena, com capacidade para 50 mil torcedores e oito mil vagas de estacionamento, determinará "uma grande mudança do chamado centro antigo da cidade, com novos usos e ocupações e um bem equipado centro de entretenimento e lazer", definiu Ney Campelo, secretário extraordinário para a Copa 2014, em Salvador. Como legado, o equipamento esportivo terá porte para "integrar o Brasil ao circuito mundial do showbussiness no pós-Copa", avaliou o secretário. A previsão é que o estádio esteja pronto para a Copa das Confederações, em 2013.

Mais prioridades

No quesito mobilidade e acessibilidade urbana, o planejamento visa intervenções que solucionem o problema de transporte de massas e da explosão demográfica em Salvador, facilitando o deslocamento e amenizando o fluxo de veículos para hotéis, aeroportos e o porto da capital. Segundo os governantes baianos, prefeitura e governo do Estado trabalharão afinados.

De acordo com o prefeito de Salvador, João Henrique Carneiro, um plano urbanístico prevê a construção da Transalvador. No projeto, corredores exclusivos para ônibus com velocidade média de 60 km/h pretendem dar agilidade ao fluxo de veículos. "Temos uma frota de 700 mil carros na capital. Isso fica mais grave a cada ano, com o aumento do poder aquisitivo do brasileiro e a chegada de mais carros às ruas. O edital da Transalvador está pronto e deve ser lançado no primeiro semestre de 2010", anunciou.

Já o estudo da Secopa prevê articulação com o metrô e rodovias, para a integração das formas de transporte e um investimento aproximado de R$ 2 bilhões. "O Congresso Nacional e governo federal terão papel importante para nos ajudar a viabilizar essas grandes obras", afirmou Ney Campelo.

A hotelaria e a qualificação profissional e empresarial também fazem parte do plano soteropolitano. Segundo Campelo, no critério acomodações, a capacidade instalada é suficiente, mas "a grande preocupação é com a modernização de nossa rede de hospedagem e a qualidade do atendimento, da prestação de serviços".

A cidade de Salvador possui 34 mil leitos, número que sobe para 64 mil se consideradas a capital e seu entorno. "Isso já é suficiente para atender a Copa. Mas os nossos hotéis já ultrapassaram em muito o limite de 7 anos para renovação. Aguardamos boas notícias dos órgãos federais a respeito da criação de uma linha de financiamento para essa reestruturação", alegou o secretário de Estado do Turismo, Leonelli, em menção à linha de crédito articulada pelo MTur junto ao BNDES.

Para atingir esses objetivos, segundo Leonelli, o governo do estado estima investir de R$ 10 milhões em capacitação empresarial e gerencial e mais R$ 14 milhões em treinamento profissional. Na área de infraestrutura turística, ele classificou como obras fundamentais a duplicação da pista do aeroporto internacional, a implantação de uma via de contorno da Baía de Todos os Santos, e a continuidade de obras já iniciadas, custeadas pelo MTur. "Uma delas é a requalificação do Centro Histórico, projeto no qual o MTur aplicou mais de R$ 16 milhýes nos últimos três anos".

A construção de uma estação marítima no Porto de Salvador, a duplicação completa da Linha Verde, e a revitalização da Feira de Águas de Meninos são outras obras que devem sair do papel. ?A feira, por exemplo, recebeu R$ 29 milhões do MTur. Com esse investimento, ela atrairá nova freguesia e será transformada em novo ponto turístico da capital?.

Eugênio Rabelo, vice-presidente da CTD (Comissão de Turismo e Desporto) da Câmara, garantiu que ?o Congresso Nacional trabalha para assegurar que este evento seja suprapartidário e signifique uma página transparente para o desenvolvimento do Turismo do País?. Um portal eletrônico, em elaboração, deve acompanhar e fiscalizar o gasto público com o evento.

Fóruns regionais

A rodada de encontros regionais mobilizam governos, poder legislativo e sociedade civil nas 12 cidades-sede da Copa do Mundo de 2014. Antes de Salvador, os fóruns itinerantes foram realizados em Manaus (AM), Natal (RN), Porto Alegre (RS) e Cuiabá (MT).

A iniciativa visa abrir uma reflexão sobre as responsabilidades e oportunidades do País na realização da segunda Copa sediada pelo Brasil. Organizado pelo Congresso Nacional com o apoio do MTur, o fórum levanta pleitos locais e investimentos previstos, além de incentivar o planejamento municipal.

Ao final do calendário de sessões regionais, representantes das instituições envolvidas vão elaborar uma carta de propostas sobre os principais desafios do País, com contribuições das consultas públicas realizadas nas 12 cidades-sede. O documento será entregue em dezembro aos ministros do Turismo, Luiz Barretto, e do Esporte, Orlando Silva.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também