Se fosse fazer cálculos, teria saído ao Senado, diz Marina Silva

Se fosse fazer cálculos, teria saído ao Senado, diz Marina Silva

Atualizado: Sexta-feira, 27 Agosto de 2010 as 3:04

A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, disse nesta sexta-feira (27) que acredita em sua presença no segundo turno e que seu futuro político dentro do Partido Verde não é pautado por planejamento calculista. “Se fosse fazer cálculos, teria saído ao Senado”, diz Marina. Em Santa Catarina, ela participou nesta manhã de encontro na  Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) e depois participou de sabatina.

A presidenciável fez a afirmação ao responder pergunta durante entrevista no Grupo RBS sobre sua importância dentro de um projeto de renovação do PV, para o qual ela é apontada como liderança. Marina disse que se vê como uma pessoa que dá uma contribuição ao partido, minimizando sua importância como pilar de uma nova filosofia e de expansão do partido. Ela disse que, se fosse realizar projeções calculistas sobre seu futuro político, teria optado pela corrida ao Senado, apontado que tinha 60% de intenção de voto.

"Estava muito bem avaliada no Acre para um terceiro mandato", disse. Após o comentário, ela avaliou que a reeleição não a motivava. “Vinte e quatro anos no Senado vira um emprego”, disse, afirmando que a situação para ela não seria confortável, porque trata política como "coisa do coração”.

Ela negou qualquer ressentimento sobre o fato de ter deixado o PT e de não ter seu nome cogitado para concorrer à Presidência da República pelo Partido dos Trabalhadores. Marina explicou que, se não houvesse o convite do PV, ela teria voltado para atuar na sociedade civil. “Acredito em sonhos”, disse, justificando sua candidatura e reafirmando a importância dos temas que ela coloca em debate na campanha presidencial.

Marina voltou a dizer que acredita que estará no segundo turno. “Estou preparada para conversar com quem não vai ao segundo turno comigo”, disse. Marina disse que uma nova etapa das eleições será importante para que as discussões ultrapassem “pegadinhas e picuinhas” que, segundo ela, tem dominado os debates entre Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB).

Ela disse que foi bom para Lula não ter vencido em 2002 e 2006, mesmo sendo ele já conhecido da população. “Por que agora não termos o segundo turno? Ainda temos 40 dias para reconsiderarmos o que estamos fazendo com o Brasil nesta eleição de 2010”, disse.

Postado por: Thatiane de Souza

veja também