MENU

'Se tivesse a chance, faria diferente', diz Anne Hathaway sobre o Oscar

'Se tivesse a chance, faria diferente', diz Anne Hathaway sobre o Oscar

Atualizado: Quarta-feira, 23 Março de 2011 as 10:35

A atriz Anne Hathaway chegou ao Rio na manhã de segunda-feira (21), mas já foi o suficiente para se sentir "totalmente integrada" à cidade. "Eu já sou local!", diz em entrevista ao G1 a estrela de sucessos como "O diabo veste Prada" e "O segredo de Brokeback Mountain".

Entre piadas e sorrisos, Hathaway contou um pouco de suas aventuras no país - em que provou cachaça e começou a "chamar todo mundo de melhor amigo" - e relembrou a experiência de apresentar o último Oscar. "Se eu tivesse a chance de fazer de novo, faria diferente, mudaria muitas coisas", afirma.

Ela está no Brasil para o lançamento da animação "Rio", em que dubla a protagonista feminina, uma arara carioca chamada Jewel, e mostra seus dotes vocais em diversas cenas. "Eu amo cantar, mas é algo que não faz parte do meu dia a dia, a não ser quando estou no chuveiro", diz.

Confira abaixo trechos da entrevista.

G1 - Como é ver o Rio no filme e estar realmente aqui, visitando a cidade?

Anne Hathaway - Quando eu estava trabalhando no filme, achava que o Carlos Saldanha poderia estar usando uma certa licença poética para mostrar aquelas paisagens tão lindas. Mas desde que cheguei aqui vi que o Rio é tão lindo quanto aparece no filme. Fiquei impressionada com a praia, as montanhas e as pessoas, que são muito agradáveis.

G1 - Você teve oportunidade de conhecer um pouco da cultura local?

Hathaway - Eu já sou uma local! (risos) Pelo menos é assim que me sinto, totalmente integrada. Estou me divertindo muito por aqui. Tenho um amigo que mora aqui, e ele me levou a diversos lugares, me apresentou a muitas pessoas. Todos foram incrivelmente simpáticos e generosos. Até dividiram a cachaça deles comigo. (risos)

G1 - E você gostou de cachaça?

Hathaway - Adorei! E por algum motivo comecei a chamar todo mundo de melhor amigo. (risos)

G1 - Como foi a experiência de apresentar o Oscar?

Hathaway - Eu me diverti muito. Eu tinha feito uma decisão consciente de tentar curtir o momento e não me deixar levar pela ansiedade, embora eu tivesse todo o motivo do mundo para ficar nervosa. Eu queria aproveitar aquela experiência ao máximo, sem ficar pensando muito no que as pessoas estavam achando. Afinal, era o grande momento da minha vida. É óbvio que eu não tinha ideia do que estava fazendo no palco. James Franco também não. Se eu tivesse a chance de fazer de novo, faria diferente, mudaria muitas coisas. Mas acho que eu nunca vou ter a chance de fazer de novo. Na verdade, não sou uma apresentadora profissional, nem sou uma comediante. Portanto, já foi uma grande honra eles terem me escolhido, me dado a chance de estar lá e ter essa experiência.

G1 - Você tem vontade de apresentar o Oscar de novo?

Hathaway - Eu não fui convidada. E esse seria o primeiro passo para eu começar a pensar nessa possibilidade. Por outro lado, eu adoraria voltar ao Oscar como indicada, isso com certeza. (risos)

G1 - O que fez você topar o convite de dublar a animação “Rio”?

Hathaway - Eu disse sim porque a mensagem da história tem muito a ver com a fase pela qual eu estava passando na época em que fui chamada, há uns três anos. O filme fala sobre tentar aprender sozinho a voar, sobre como devemos lidar com a sua liberdade e, ao mesmo tempo, dar uma direção à sua vida. Essa mensagem falou alto ao meu coração.

G1 - No filme, você teve que cantar, um talento que você já tinha mostrado na apresentação do Oscar. Você cogita seguir carreira na música?

Hathaway - Até hoje, só cantei em público por no máximo 30 segundos. Se eu cantasse por mais tempo, vocês iam entender porque tenho me limitado aos 30 segundos. Por enquanto, ainda estou tentando me virar como atriz. (risos) Eu amo cantar, mas é algo que não faz parte do meu dia a dia, a não ser quando estou no chuveiro. (risos)

G1 - Como foi dublar um personagem de animação, em que só a sua voz aparece?

Hathaway - Eu atuei um pouquinho, pelo menos eu tentei (risos). Em todo filme a atuação é importante, mas acho que nesse projeto nós atores somos uma pequena parte, porque são necessários tantos animadores e técnicos. E certamente eles são mais responsáveis pelo resultado fascinante que temos do que os atores.

G1 - Durante o Oscar, você chamou atenção ao mudar de figurino oito vezes. A moda é algo que você acompanha?

Hathaway - Eu tento achar um equilíbrio. Amo moda como expressão artística, mas odeio consumismo. Adoro sair por aí e olhar coisas estilosas, mas não saio comprando um monte de coisas. Quando perguntaram o que eu poderia fazer para animar a festa do Oscar eu disse: não sou comediante, não sou apresentadora, mas posso mudar de roupa com muita rapidez! (risos) Foi muito divertido e considero que as roupas que usei no Oscar são obras de arte. Mas não levo a moda a sério como outras pessoas, que vivem para isso.

G1 - Você comprou alguma coisa aqui no Brasil? O que está levando na mala de volta para casa?

Hathaway - Tive a oportunidade de visitar uma loja linda de artesanato no bairro de Santa Teresa e comprei muitos presentes. Uma das coisas de que mais gostei foi um avião feito com uma lata de cerveja reciclada, achei genial.

Por: Carla Meneghini

veja também