MENU

Seca prejudica agricultores no ES e em MG

Seca prejudica agricultores no ES e em MG

Atualizado: Quarta-feira, 10 Fevereiro de 2010 as 12

Agricultores de Minas Gerais e do Espírito Santo enfrentam problemas por causa da seca. O gado e as lavouras sofrem com o calor e a falta de água.

A estiagem já dura três meses no sul do Espírito Santo. Se falta água, o jeito é irrigar. Mas nem assim a lavoura de café vai resistir. "Se não chover, corre o risco de as plantas morrerem", disse o agricultor Reinaldo Cardoso.

A lagoa está seca. Na terra, nem parece que tinha água. Era onde o gado matava a sede.

 Em Itapemirim, máquinas abrem poços cada vez mais profundos. O capim acabou e o leite diminuiu. A produção de cana em algumas propriedades já caiu 50%. Em Rio Novo do Sul, toda a produção de café está comprometida.

Em Marataízes, até o abacaxi, fruta de clima quente, não tem resistido à seca. Em Presidente Kennedy, houve queda de 30% na produção de leite.

Um levantamento do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) mostra que a situação é crítica. "Todas as informações climáticas apontam a falta de chuva até longo prazo", alertou Ronaldo Stephanato.

Já em Minas, os agricultores enfrentam duas semanas de seca. O período parece curto, mas é o suficiente para causar prejuízo.

O agricultor Vilmar Toledo plantou um hectare de milho na propriedade. Ele esperava produzir oito toneladas, mas, com o baixo volume de chuva nos meses de dezembro e janeiro, as espigas pouco se desenvolveram. Ele vai produzir apenas 3,5 toneladas. Pelos cálculos do agricultor, o que vai arrecadar com a venda do produto não será suficiente para cobrir os gastos que teve com o plantio. Um prejuízo que ele pretende compensar com a plantação de pimenta, mais resistente ao sol. "Diversificar a cultura, plantar uma planta que seja resistente á falta de chuva. Vamos ver se não vai acontecer o que aconteceu esse ano", disse.

veja também