MENU

Secretaria de saúde do Rio considera normal alta de 440% nos casos de dengue

Secretaria de saúde do Rio considera normal alta de 440% nos casos de dengue

Atualizado: Terça-feira, 1 Fevereiro de 2011 as 3:03

Apesar de o número de casos de dengue ter explodido entre janeiro de 2010 e janeiro de 2011, a Secretaria Municipal de Saúde não se mostra preocupada. Segundo os dados da própria secretaria divulgados na segunda-feira (31), foram notificados 485 casos em toda a capital fluminense no mês de janeiro, aumento de 440% quando comparados com o mesmo mês do ano passado, quando foram registrados 110 casos.

- O aumento no número de casos é previsto pela SMSDC [Secretaria Municipal de Saúde], tendo em vista o aumento da temperatura nesta época do ano. Todos os casos são monitorados e são feitas ações de bloqueio imediatamente. A situação atual na cidade é considerada normal. Até hoje, a cidade registrou 485 casos de dengue, enquanto que em 2008, ano da última epidemia, foram notificados quase 12 mil casos em janeiro. No entanto, a SMSDC reforça que está preparada para qualquer cenário.

Mesmo com o descaso da secretaria municipal de saúde, que insiste que este crescimento está dentro do considerado “normal”, o Ministério da Saúde elaborou um manual específico para orientar profissionais quanto ao tratamento da doença para crianças e jovens com até 15 anos. A incidência nesse público está tão alta que rumores indicam que o ministério estuda criar orientações pediátricas.

Na última epidemia de 2008, cerca de 25% das vítimas fatais eram menores de 15 anos de idade. Nas crianças, o histórico mostra que a doença chega de forma repentina, enquanto nos adultos ela se desenvolve gradualmente. O objetivo do manual é criar mecanismos que previnam e evitem mortes e possam orientar os médicos para o atendimento das pessoas em estado grave. O manual do Ministério da Saúde dispõe ainda de um quadro com classificação de risco e lista os sintomas mais alarmantes.

A Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil da cidade do Rio de Janeiro, questionada se houve omissão nas medidas preventivas, ressaltou que mantém, de forma permanente, as ações de combate à dengue em todo o município, durante o ano inteiro.

- Em 2010, especificamente, a SMSDC intensificou os trabalhos em áreas com maior risco de dengue, com o uso de equipamentos de fumacê de forma preventiva nestas regiões. A Secretaria vem, ainda, reforçando as ações de campo e educativas. Foram convocados em dezembro mais 1320 agentes de saúde, que estão passando por treinamento. Somente em 2010, foram feitas cerca de 4,2 milhões de visitas.

Os bairros com os maiores índices foram Santa Cruz, na zona oeste do município, com 99 casos, seguido por Madureira e Paciências, ambos na zona norte.

Os dados divulgados mostram a necessidade de aumentar o controle e as práticas de prevenção no Rio de Janeiro. Apesar de o município estar em alerta para a doença, a possibilidade de epidemia na região metropolitana é grande, pois os agentes de vigilância da secretaria não conseguem entrar em 29% das residências cariocas. Levando-se em conta os dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas), esse valor seria correspondente a cerca de 1 milhão de imóveis.    

veja também