MENU

Secretaria de Transportes vai apurar falha na Linha 4 do Metrô

Secretaria de Transportes vai apurar falha na Linha 4 do Metrô

Atualizado: Segunda-feira, 3 Outubro de 2011 as 3:01

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou na manhã desta segunda-feira (3) que a Secretaria de Transportes Metropolitanos vai apurar o problema técnico ocorrido nesta manhã na Linha 4-Amarela do Metrô. As seis estações da linha que liga o Butantã, na Zona Oeste, à Luz, no Centro, só foram abertas por volta das 8h20 devido a uma falha de sinalização.

“Já determinamos à Secretaria de Transportes Metropolitanos, que é quem tecnicamente tem todas as condições para avaliar, verificar o ocorrido e tomar todas as providências necessárias com rapidez e rigor”, afirmou o Alckmin durante evento que um plano estadual de combate e prevenção à dengue, no anfiteatro da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.   Quando questionado se havia alguma punição prevista em contrato para a concessionária Via Quatro, responsável pela linha, o governador afirmou que é preciso “aguardar a conclusão do Metrô”. “O rigor será absoluto, mas não devemos ser imprudentes de nos manifestarmos antes de ter uma avaliação”, declarou.

“A operadora tem o dever de ter um plano de contingenciamento e tem o dever de ter um plano de comunicação. Você prestar conta para a população é uma obrigação. Só quem opera a ferrovia pode ter essas condições imediatas”, afirmou ainda o governador.

A falha na circulação dos trens prejudicou cerca de 75 mil usuários, segundo a ViaQuatro. "O problema foi detectado no sistema de sinalização (CBTC), que não permitia a circulação normal dos trens no trecho entre as estações República e Luz, recém-inaugurado. A concessionária ViaQuatro, que opera a Linha 4-Amarela, decidiu manter toda a linha inoperante, já que não era adequado operar parcialmente", diz a nota da ViaQuatro.

Os passageiros das Linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha do Metrô foram avisados sobre o fechamento das estações da Linha 4 por meio de avisos sonoros. O mesmo foi feito nas Linhas 7, 11 e 9 da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), que têm integração com a Linha 4.

O problema na Linha 4-Amarela causou impactos também no corredor de ônibus das Avenidas Francisco Morato e Rebouças, na Zona Oeste de São Paulo. Pontos ficaram lotados, com ônibus sem espaço para os passageiros e longas filas de coletivos. Muitas pessoas desistiram do transporte e resolveram seguir a pé.

Ponto de ônibus na Avenida Rebouças ficou lotado com problema no Metrô (Foto: Juliana Cardilli/G1)            

veja também