MENU

Secretaria diz que irá agilizar reforma em hospital de Sorocaba

Secretaria diz que irá agilizar reforma em hospital de Sorocaba

Atualizado: Quinta-feira, 10 Fevereiro de 2011 as 1

A Secretaria da Saúde disse nesta quinta-feira (10) que vai agilizar a reforma do setor de ortopedia do Hospital Regional de Sorocaba, a 99 km da capital paulista. O conjunto hospitalar, que é referência na região, está sobrecarregado. Alguns pacientes usaram as janelas para reclamar das condições de atendimento no complexo.

Pelo hospital, passam todos os dias três mil pessoas, em média, vindas de 48 municípios. Elas chegam em ambulâncias, ônibus, e até em veículos escolares. O conjunto hospitalar é o único da região que faz procedimentos de alta complexidade. A ortopedia é o setor mais sobrecarregado. Com uma câmera escondida, foi possível flagrar a superlotação nos quartos e pacientes há mais de um mês à espera da cirurgia.     Nos banheiros, o descaso com a higiene. Um paciente de 79 anos foi atropelado no fim do ano passado e esperou 36 dias para ser operado. Ele teve fraturas na perna, no braço e em cinco costelas. O diagnóstico só foi confirmado duas semanas depois que o idoso foi internado.

Segundo o coordenador estadual da saúde, Ricardo Tardelli, uma das alternativas para amenizar os problemas do hospital é ampliar o convênio com a faculdade de medicina, para que a universidade assuma alguns setores, inclusive o gerenciamento de recursos repassados pelo estado. Ele reconheceu que há problemas também na infraestrutura do hospital, um prédio antigo que está sendo reformado - não há prazo para conclusão das obras. “A próxima área que vai ser reformada é a ortopedia. Precisamos melhorar para chegar num atendimento digno”, afirmou.

Outra proposta do governo estadual é investir na regionalização da saúde, ou seja, construir hospitais menores em diversas cidades, para não sobrecarregar os grandes complexos, como o de Sorocaba. Sobre o idoso que estava com as costelas quebradas, ele já teve alta. O Conselho Regional de Medicina não se pronunciou sobre a demora dos médicos em identificar esse problema. Disse apenas que não há irregularidade na equipe médica que trabalha no hospital.    

veja também