MENU

Secretaria investiga denúncia de venda de dados sobre violência

Secretaria investiga denúncia de venda de dados sobre violência

Atualizado: Quarta-feira, 2 Março de 2011 as 8:08

A Secretaria da Segurança Pública de São Paulo mandou investigar a denúncia de venda de dados sigilosos sobre a violência no estado. Um funcionário suspeito de passar informações para empresas e entidades foi demitido nesta terça-feira (1º) pelo governador Geraldo Alckmin.

Até esta terça, quem analisava as estatísticas e elaborava os mapas sobre os crimes que acontecem no estado era o sociólogo Túlio Kahn. Uma reportagem publicada pelo jornal “Folha de S. Paulo” afirma que ele é sócio da Angra, uma empresa de consultoria, e vendeu dados sigilosos para empresas e entidades – entre elas o Secovi, o sindicato da habitação, que negou a denúncia.

Ao saber das denúncias o governador tirou Kahn do cargo. “É um profissional competente, mas essa atividade empresarial dele é incompatível com o cargo que ocupa”, disse Alckmin. “Isso será apurado detalhadamente. Nós não sabemos se houve venda ou não. Seria temerário agora dizer que houve venda de dados do estado”, disse o secretário Antônio Ferreira Pinto.     O sociólogo recebia as informações das polícias e tinha acesso ao Infocrim, programa de computador que mostra detalhes de cada crime cometido em São Paulo. O sistema dá às polícias informações detalhadas sobre a criminalidade – é possível saber quantos e quais tipos de crimes ocorreram em um determinado espaço de tempo em qualquer lugar do estado.

O sistema é semelhante ao utilizado na Inglaterra. Entretanto, lá o mapa está na internet, disponível a toda a população. Em São Paulo, a população não tem acesso aos dados. A Secretaria de Segurança Pública usa as informações para planejar o patrulhamento e a presença de policiais em cada região.

O sociólogo Túlio Kahn não foi encontrado para comentar o caso.    

veja também