MENU

Secretário determina investigação sobre atendimento a idoso em SP

Secretário determina investigação sobre atendimento a idoso em SP

Atualizado: Sexta-feira, 30 Setembro de 2011 as 3:35

O secretário Municipal da Saúde, Januário Montone, determinou na manhã desta sexta-feira (30) a abertura de uma investigação interna no serviço de emergência da capital paulista por causa do que aconteceu com um idoso de 80 anos. Ele teve uma crise de hipertensão, mas não conseguiu atendimento no Hospital Geral de Vila Nova Cachoeirinha, na Zona Norte de São Paulo. Segundo a direção do hospital, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) sabia que o hospital estava lotado e, mesmo assim, levou o idoso para ser atendido lá.

Um vídeo feito por uma pessoa que estava na emergência do hospital mostra o flagrante de omissão de socorro, ocorrido na madrugada desta quinta-feira (29). O hospital se recusou a receber o paciente levado pelo Samu em estado crítico.   Um idoso de 80 anos ligou para o Samu com crise de hipertensão, mas não passou da porta do hospital. As imagens mostram um atendente do Samu cobrando explicações de um médico, que não reponde. Ele diz: ”Posso confirmar que vocês não vão atender?”. Depois, o atendente procura a enfermeira. Ela responde: “Quem determina isso não sou eu, da enfermagem. É o médico, né? Não sou eu!”.

Uma atendente do Samu, que não quer ser identificada, contou o que aconteceu: "A enfermeira que estava lá falou que não iria atender, que estava fechado pro Samu. Eu saí, eles fecharam a porta na minha cara", disse. "Mas você viu lá que o médico não confirmou? Você viu que ele está jogando nas costas de vocês? Ele não confirmou. Você viu? Então, acho que é loucura de vocês fazer isso", cobra o atendente. A porta é fechada.

A acompanhante de outro paciente não se conforma: "Deixar o paciente aqui fora!? Pelo amor de Deus! Isso é absurdo", diz. Ela então liga para a polícia. "Bateram a porta na nossa cara. Falaram que não tem médico, sendo que pegaram uns pacientes que estão dormindo lá na cadeira e colocaram tudo na emergência", afirma. Mas a polícia não apareceu.

À 1h30, a central do Samu deu uma nova orientação: a ambulância deveria levar o paciente para outro lugar. O idoso foi então levado ao Pronto-Socorro de Santana, também na Zona Norte de São Paulo, com hipertensão e crise respiratória agravadas. Depois que tudo passou, a funcionária do Samu, acostumada a salvar vidas, desabafou: "Você se sente incapaz, se sente fraco, impotente, impotente, essa é a palavra. Sem poder fazer nada".

A direção do Hospital Geral de Vila Nova Cachoeirinha informou que, no momento da chegada da ambulância com o idoso, a equipe médica estava atendendo a dois casos de parada cardiorrespiratória e que os três pacientes chegaram quase simultaneamente. A direção afirmou que os profissionais do hospital foram "incorretos e deselegantes" com a equipe do Samu e que vai investigar o caso.

O aposentado Lourenço Mendonça recebeu alta e realizava exames na manhã desta sexta-feira (30). A Secretaria Estadual de Saúde disse que todos os profissionais que não atenderam o idoso foram advertidos e a atitude deles será investigada.          

veja também