MENU

Secretário diz que 'não havia clima' para trabalhar com diretor do DHPP

Secretário diz que 'não havia clima' para trabalhar com diretor do DHPP

Atualizado: Quinta-feira, 17 Março de 2011 as 3:53

O secretário da Segurança Pública de São Paulo, Antonio Ferreira Pinto, afirmou nesta quinta-feira (17) que “não havia clima” para continuar o trabalho com o ex-diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) Marco Antonio Desgualdo, afastado do cargo no início da semana. Apurações preliminares da secretaria apontaram o envolvimento do delegado no caso do vazamento de um vídeo que mostra o encontro de Ferreira Pinto com um jornalista dentro de um shopping.

“Eu tinha toda a confiança nele, foi homem da minha equipe desde o primeiro dia e, depois, eu me surpreendi com essa forma fraudulenta. Não havia clima para continuarmos trabalhando juntos”, afirmou durante um evento no Palácio dos Bandeirantes para a assinatura de um decreto que autorizou a transferência do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) para a Secretaria de Gestão Pública.     Diante da insistência dos jornalistas, que questionaram se o secretário se sentiu traído pelo delegado, ele respondeu: “é uma questão de quebra de confiança, eu não diria que o termo está incorreto”. Em evento na quarta-feira (16), no entanto, o secretário havia afirmado que não existiu uma quebra de confiança. “Não foi questão de confiança. Isso foi dito pelo delegado-geral. Desde que assumi, mudei sempre diretores. Diretor não tem cadeira cativa”, disse, após evento militar no quartel do Comando Militar do Sudeste, na Zona Sul de São Paulo.

Questionado na ocasião sobre a atuação de Desgualdo, Ferreira Pinto ressaltou que o ex-diretor “fez uma carreira brilhante no DHPP”. “Onde ele quiser trabalhar, vai trabalhar. Pelas qualidades que tem, ele pode trabalhar em qualquer setor da polícia. Tenho certeza que vai fazer um bom trabalho.”

Entenda o caso

Um vídeo gravado pelas câmeras do Shopping Pátio Higienópolis vazou e foi parar no site YouTube. Ele mostra um encontro entre o secretário da Segurança e um repórter do jornal "Folha de S.Paulo". Dias depois de os dois se reunirem no shopping, o jornal publicou reportagem sobre a suspeita da venda de dados do governo pelo sociólogo Túlio Khan, então chefe da Coordenadoria de Análise e Planejamento. Ele foi demitido dias depois da denúncia. O secretário negou nesta quinta-feira que o tema do encontro tenha sido esse. “Se eu tivesse a informação, eu teria simplesmente o desligado”, afirmou.

A Folha informou, na semana passada, que o repórter se encontrou em local público com o secretário da Segurança, autoridade da área de especialização do jornalista. A Folha lamentou que imagens colhidas no circuito interno do shopping tenham sido utilizadas na tentativa de coibir o trabalho da imprensa.

O Shopping Pátio Higienópolis divulgou nota informando que "as fitas do circuito interno foram entregues à policiais do estado de São Paulo em cumprimento de uma determinação para esclarecimento de diligência policial". Segundo o shopping, "é comportamento padrão da direção geral do shopping e de todos os seus gerentes, subgerentes e supervisores atenderem prontamente toda e qualquer solicitação de autoridade constituída, com presteza e transparência".

Na tarde desta quarta-feira (16), o delegado-geral de polícia de São Paulo, Marcos Carneiro Lima, anunciou o nome do novo diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). O delegado Jorge Carlos Carrasco assumirá o cargo.    

veja também