MENU

Segunda gravidez na adolescência cai 27,1% em SP

Segunda gravidez na adolescência cai 27,1% em SP

Atualizado: Terça-feira, 26 Maio de 2009 as 12

Num período de quatro anos, o Estado de São Paulo conseguiu reduzir em 27,1% o número de adolescentes que ficaram grávidas pela segunda vez. É o que aponta balanço da Secretaria de Estado da Saúde com base em dados da Fundação Seade.

Em 2007 houve no Estado 13.674 jovens com menos de 20 anos grávidas no Estado, contra 18.759 em 2003. Em 2004 foram registrados 17.809 casos de segunda gravidez entre jovens. No ano seguinte, 17.275, e em 2006, 17.309.

Na comparação com 1998, quando houve 26.237 menores de 20 anos grávidas pela segunda vez, a queda sobre o número de 2007 foi de 47,8%.

"É um resultado excepcional, que revela o acerto da política estadual de saúde pública para evitar a gravidez precoce, trabalhando, além da informação, os sentimentos, emoções e medos das adolescentes", afirma a ginecologista Albertina Duarte Takiuti, coordenadora do Programa Estadual de Saúde do Adolescente.

A Secretaria mantém um modelo de atendimento integral à adolescente, que contempla o aspecto físico, psicológico e social, e que vem auxiliando a reduzir, ano a ano, o número de jovens grávidas. Além de informação e orientação, o trabalho busca identificar as emoções, medos e dúvidas dos adolescentes sobre afetividade, relacionamentos e sexo seguro. Rotineiramente a Secretaria investe em capacitação, organizando palestras e cursos a profissionais médicos que cuidam de adolescentes por todo o Estado.

Anticoncepcionais

Para auxiliar na prevenção à gravidez indesejada, a Secretaria decidiu ampliar o acesso das mulheres, inclusive adolescentes, a métodos anticoncepcionais. Desde julho de 2007 estão disponíveis contraceptivos comuns em 20 unidades da Farmácia Dose Certa, na capital, situadas em estações de metrô, trem e centros de saúde. Em agosto esses locais passaram a distribuir pílulas do dia seguinte, camisinhas e panfletos informativos sobre contracepção de emergência.

Para o interior, litoral e Grande São Paulo a Secretaria também passou a enviar anticoncepcionais, pílulas do dia seguinte e DIUs, para distribuição em Unidades Básicas de Saúde, em complemento ao repasse do governo federal.

Balada da Saúde

No segundo semestre de 2007 a Secretaria lançou o projeto Balada da Saúde, na Casa do Adolescente de Pinheiros, na capital. O objetivo é prestar atendimento médico, orientar os adolescentes sobre sexo seguro e uso correto de métodos anticoncepcionais, e oferecer espaço para música e diversão.

A balada acontece todas as segundas-feiras, para adolescentes de 12 a 20 anos. as 17h30 às 19h há equipes do Programa de Adolescente da Secretaria para o Plantão das Emoções. Ginecologistas, psicólogos e nutricionistas tiram dúvidas sobre sexo, gravidez precoce, uso de preservativos e problemas de saúde. A Secretaria ainda distribui preservativos e folhetos explicativos.

A balada começa às 19h. A idéia é que a cada semana haja um tema: rap, MPB, dance music, enfim, todos os estilos musicais. Músicos e DJs são convidados para a festa. Os adolescentes podem inscrever bandas para tocar durante o evento.

veja também