MENU

Sem chuva e vento, faixa de poluição fica mais perto do solo em SP

Sem chuva e vento, faixa de poluição fica mais perto do solo em SP

Atualizado: Sexta-feira, 2 Julho de 2010 as 7:14

Nesses dias sem chuva e com pouco vento, a camada de poluição está mais perto do solo. Dá para ver e medir a qualidade do ar que a população de São Paulo respira. O céu azul, sem nuvens, não esconde o vilão do inverno.

A falta de chuva e de vento e a baixa umidade dos últimos dias favoreceram um acúmulo forte de poluentes na atmosfera da capital. É como se houvesse um 'cobertor' de poluição em cima da cidade, que impede a dispersão dos gases.

Uma máquina capaz de medir a concentração de poluição mostrou que na tarde desta quinta-feira (1º) esse cobertor estava denso e ficou a 1.200 metros de distância do solo. Isso significa que no momento da medição existia uma concentração muito grande de poluentes no ar.

Para se ter uma idéia, no verão, quando as condições climáticas são mais favoráveis, esse ‘cobertor’ fica a cerca de 2.000 metros de altitude. A camada de poluição impede que os raios solares cheguem ao chão e consigam aquecer o ar próximo ao solo para dispersar os poluentes.

Nesta quinta, a medição da qualidade do ar na região metropolitana feita pela Cetesb apontava condição regular em 18 das 19 estações. Apenas na região de Pinheiros, na Zona Oeste, a condição era boa/

De acordo com a previsão da meteorologia, não haverá chuva até a próxima quarta-feira, por causa de uma massa de ar seco. Nesta sexta-feira (2), o sol brilha o dia todo. A umidade pode chegar a 30% e a temperatura fica entre 13 e 20°C.

A previsão para o horário do jogo do Brasil contra a Holanda, pelas quartas-de-final da Copa do Mundo, é céu aberto e temperatura na casa dos 20ºC. Para quem for assistir ao jogo no Vale do Anhangabaú, no Centro, a orientação é para levar uma blusa leve, porque o sol de inverno não esquenta muito.

veja também