MENU

Sem incidentes, Dilma e Serra fazem campanha no Rio de Janeiro

Sem incidentes, Dilma e Serra fazem campanha no Rio de Janeiro

Atualizado: Segunda-feira, 25 Outubro de 2010 as 8:32

Uma semana antes do segundo turno das eleições, os candidatos do PT e do PSDB à Presidência da República realizaram neste domingo (24) atividades de campanha no Rio de Janeiro. Eles estiveram em regiões distintas da cidade (veja mapa abaixo) e, até às 13h30, não havia registro de incidente entre militantes.

Ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a petista Dilma Rousseff percorreu três bairros da Zona Oeste. O tucano José Serra, acompanhado de Aécio Neves, esteve na orla de Copacabana. Na quarta-feira (20), José Serra foi atingido por um objeto na cabeça durante caminhada em Campo Grande, na Zona Oeste.

Dilma e Lula

A carreata petista começou pouco depois das 10h. No trajeto, que durou mais de duas horas, os petistas percorreram três bairros:  Realengo, Padre Miguel e Bangu. "Vocês viram como foi, foi uma carreata linda pela Zona Oeste, espero que vocês tenham gostado", disse Dilma, antes de entrar em uma van ao fim do evento. A candidata deixou o local sem discursar e não concedeu entrevista.

Entre os aliados que estiveram no evento de campanha estavam Sérgio Cabral (PMDB), Marcelo Crivella (PRB), Lindberg Farias (PT), Eduardo Paes (PMDB) e Francisco Dornelles (PP).

Em uma homenagem de eleitores, Dilma ganhou uma rosa e, segurando com a mão esquerda, apontou a flor para o alto. Durante o trajeto, houve queimas de fogos e um morador resolveu abrir garrafa de champanhe para marcar a passagem da carreata petista. Em outro momento, um morador apareceu em uma varanda tocando saxofone.

Serra e Aécio

A caminhada de Serra e aliados foi transformada em uma carreata por causa da dificuldade de deslocamento, provocada pelo afluxo de militantes. Serra fez  o deslocamento pela Zona Sul em cima de um trio elétrico, ao lado do candidato a vice, Indio da Costa (DEM). Serra discursou e disse que não vai privatizar as empresas estatais. "Vou estatizar as empresa estatais, que não mais servirão a interesses privados de partidos", afirmou.

Os governadores reeleitos de São Paulo e de Minas Gerais, Geraldo Alckmin e Antônio Anastasia, além do senador eleito Itamar Franco (PPS), participaram do ato de campanha ao lado do presidenciável tucano.

Durante a caminhada, foram mostrados bonecos de Serra com um curativo na cabeça, em alusão à agressão sofrida pelo tucano na quarta, e alguns militantes utilizavam capacetes de proteção. No ato foi mostrada uma gravação do jurista Hélio Bicudo declarando apoio ao tucano. Bicudo foi filiado por muitos anos ao PT e foi vice-prefeito de São Paulo na gestão de Marta Suplicy (PT). Ele se desfiliou do partido em 2005. No depoimento, Bicudo usou termos como "aviltante", "repugnante" e "insulto e escárnio" ao se referir ao governo Lula.

Por: Carolina Lauriano e Bernardo Tabak

veja também