MENU

'Senadores de verão' custarão R$ 400 mil

'Senadores de verão' custarão R$ 400 mil

Atualizado: Quinta-feira, 6 Janeiro de 2011 as 9:52

Pelo menos quatro suplentes vão exercer um mandato-tampão em janeiro no Senado, com direito a todos os benefícios mensais concedidos pela Casa.

Eles vão receber, em média, mais de R$ 100 mil cada, entre valores diretos e indiretos, para substituir senadores que assumiram ministérios ou secretarias estaduais.

A lista pode crescer até o final do mês, com a posse dos suplentes de Aloizio Mercadante (PT-SP) e Efraim Morais (DEM-PB). Já foram empossados os suplentes de Ideli Salvatti (PT-SC), Garibaldi Alves (PMDB-RN), Flávio Arns (PSDB-PR) e Edison Lobão (PMDB-MA).

No mandato-tampão, cada um vai receber o salário de R$ 16,5 mil e benefícios como auxílio moradia (R$ 3,8 mil), verba para escritórios nos Estados (R$ 15 mil).

Ontem, a Folha mostrou que há previsão de a Câmara empossar 45 "deputados de verão". Até ontem, 38 vagas aviam sido abertas. Na lista, há acusados de integrar escândalos como o mensalão.

Governador do DF por oito meses, Rogério Rosso (PMDB) poderá assumir mandato-tampão na Câmara. Ele foi convocado para a vaga de Tadeu Filippelli (PMDB), eleito vice-governador. Sua assessoria disse que ele não decidiu se assumirá.

Entre os que tomaram posse, está Rogério Silva (PP-MT), cassado em 2003 sob acusação de compra de votos. Ele nega irregularidade.

Empossado ontem, Márcio Passos (PR-MG) é alvo de ações sob a acusação de desvio de recursos de prefeituras mineiras. A Folha deixou recado em seu gabinete, mas não obteve resposta.

O terceiro-secretário da Câmara, Odair Cunha (PT-MG), justificou as posses em janeiro dizendo que os parlamentares não trabalham apenas nas votações.

veja também