MENU

Serra: Dilma e o PT "não são duas, mas várias caras"

Serra: Dilma e o PT "não são duas, mas várias caras"

Atualizado: Quarta-feira, 7 Julho de 2010 as 2:25

José Serra aproveitou o episódio da troca de programas de governo que o PT encenou no TSE para escalar sobre Dilma Rousseff.

O PT anexara ao pedido de registro de sua candidata um programa de governo que havia sido aprovado em congresso partidário de fevereiro.

A peça continha as teses radicais do pedaço esquerdista da legenda. Coisas como entraves à retomada de terras invadidas...

...E o combate ao "monopólio dos meios eletrônicos" de comunicação. Tudo assinada por Dilma. A candidata apôs sua rubrica em cada uma das páginas.

Divulgado pelo TSE, o programa ganhou a web. E inspirou uma reação subterrânea das legendas de centro-direito que integram a coligação de Dilma.

Chia daqui, reclama dali, o petismo retirou da praça o programa azedo. Com atraso de quase oito horas, substituiu-o no TSE por uma versão edulcorada.

Ouvida, Dilma disse que assinara a primeira versão sem ler. Algo que não recomenda alguém que reivindica o cargo de presidente da República.

Os repórteres Elder Ogliari e Evandro Fadel contam que, instado a dizer meia dúzia de palavras sobre o vaivém do time rival, o tucano Serra foi à jugular:

"Lendo o segundo [programa], é um remendo malfeito [do primeiro]", ele bicou, durante caminhada pelas ruas do centro de Curitiba.

Para Serra, os tópicos anotados na versão renegada posteriormente compõem a "alma" do que deseja o petismo.

Afirmou que seus adversários "não são duas caras, são várias caras". Arrematou: "Nós temos uma só cara, a minha cara".

Fez uma referência específica ao desejo do PT de exercer o controle da mídia:

"É tema em que a gente sabe o que eles pensam. Sempre que podem, isso é dito, depois eles vêm e corrigem".

Em viagem a Porto Alegre, Dilma também foi convidada a comentar a meia-volta do programa de governo:

"Nós não concordamos com a posição expressa. Tem coisas do PT com as quais concordamos, coisas com as quais não concordamos, e assim nos outros partidos também".

veja também