MENU

Serra diz que defesa da vida 'merece fazer parte das palavras do Papa'

Serra diz que defesa da vida 'merece fazer parte das palavras do Papa'

Atualizado: Sexta-feira, 29 Outubro de 2010 as 11

O candidato do PSDB à Presidência da República participou de encontro com prefeitos e lideranças políticas em Uberlândia, em Minas Gerais, na tarde desta quinta-feira (28). O tucano estava acompanhado do senador eleito Aécio Neves, do governador reeleito de Minas, Antônio Anastasia, e do ex-presidente Itamar Franco (PPS), eleito senador.

Serra comentou a declaração do Papa Bento XVI, que afirmou nesta manhã que os bispos têm o dever de emitir julgamento moral "também em matérias políticas". O candidato disse não ter lido a íntegra do texto do pontífice, mas ficou sabendo do conteúdo do pronunciamento.

"O Papa é um líder espiritual mundial da Igreja Católica, ele tem pleno direito de emitir as suas diretrizes e orientações para os católicos do mundo. Tem plena liberdade de fazê-lo", comentou Serra.  "É um guia espiritual muito importante. E a defesa da vida é algo que merece fazer parte das palavras do papa, além do que, é previsível, além do quê, é bom para o mundo ouvir isso, a defesa da vida", disse em coletiva após o encontro com prefeitos.

Mais cedo, antes do discurso no encontro com prefeitos, Serra recebeu uma imagem de Nossa Senhora de um eleitor. Ele beijou a imagem e a ergueu para o alto. Durante sua fala aos políticos, o tucano citou um personagem bíblico para explicar o objetivo de sua visita a Minas Gerais. Ele lembrou um episódio da vida de Salomão, constante no livro de Crônicas, na qual o rei tem a chance de fazer um pedido a Deus e escolhe receber sabedoria e conhecimento. O candidato diz que sua visita ao estado tinha esse espírito, buscar sabedoria e conhecimento.

"Tem um trecho em que Deus vem a Salomão no sonho, no dia que ele assume o reinado. E oferece a ele qualquer coisa: 'Tudo que você quiser será dado'. Salomão respondeu: 'Eu só quero uma coisa, sabedoria e conhecimento'", citou o candidato, sendo aplaudido pelo público.

Em seguida, afagou seus principais cabos eleitorais no estado. "Em Minas, eu venho colher a sabedoria e o conhecimento. O conhecimento administrativo, a competência do Anastasia, a sabedoria inversamente proporcional à idade do Aécio Neves. A sabedoria, o conhecimento e o decoro do presidente Itamar Franco, que deu ao Brasil uma lição sobre como deve se comportar um presidente, que precisa ser presidente não de um partido, não de um grupo, mas de todo o nosso país", afirmou, numa crítica indireta ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em relação às questões cotidianas que afligem os administradores municipais, o tucano se comprometeu com a valorização do poder dos municípios na resolução dos problemas dos cidadãos. Dirigindo-se aos prefeitos, ele disse que em sua gestão não haverá "FPM surrupiado", em uma referência à queda no repasse no Fundo de Participação dos municípios.  Os prefeitos reclamam que as cidades foram prejudicadas com as reduções do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) durante a crise financeira.

Indecisos

No discurso aos prefeitos, Serra disse que a eleição será decidida em Minas Gerais e fez um apelo para que a militância busque os votos dos indecisos nesses últimos dias antes da votação. Pesquisa Datafolha divulgada na terça (26) aponta que 8% dos eleitores estão indecisos. De acordo com o levantamento, a candidata do PT, Dilma Rousseff, soma 49% das intenções de voto totais, e Serra, 38%. Os brancos e nulos são 5%.

"Até domingo, temos que ganhar voto de quem está indeciso, de quem não está com o voto muito decidido do outro lado. Se cada um aqui ganhar um a mais, serão dois. Se trabalha na saúde, tem que ganhar cinco. Se é menina bonita, tem que ganhar 15. É muito simples, faz a lista dos pretendentes, e manda um e-mail dizendo que vai ter mais chance quem votar no 45."

Antes do discurso de Serra, foi a vez de Aécio Neves e Anastasia pedirem o voto dos militantes. Anastasia disse que a eleição no estado precisava fazer "barba, cabelo e bigode", numa referência à eleição da chapa completa - dois senadores, governador e presidente da República. Já Aécio cutucou os adversários e lembrou a eleição para o governo mineiro. No estado, o PT apoiou a candidatura do ex-ministro Hélio Costa (PMDB). Costa teve 34,17% dos votos e Anastasia, 62,71%.

"Os nossos adversários, de forma reiterada, iam para a televisão e diziam que a população mineira tinha que votar neles porque era importante que o governador fosse do partido da presidente da República, que eles já consideravam eleita. Diziam que era fundamental para haver sintonia entre o governo federal e o estado. Não acho que isso seja fundamental. Mas já que eles disseram isso, eles têm a oportunidade agora de serem coerentes com seu discurso. Basta votarem em José Serra."

Após o encontro, o presidenciável realizou breve caminhada pelo Centro da cidade e foi até um tradicional café da cidade. Depois, deixou o local numa van rumo ao aeroporto. A programação do candidato nesta quinta também prevê atividades de campanha em Montes Claros, no norte de Minas.

Por: Maria Angélica Oliveira

veja também