MENU

Serra diz que uso de cassação em campanha é ridículo

Serra diz que uso de cassação em campanha é ridículo

Atualizado: Quarta-feira, 24 Fevereiro de 2010 as 12

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), disse nesta terça-feira, dia 23, não acreditar que a oposição irá usar a polêmica envolvendo a cassação do prefeito Gilberto Kassab (DEM) para afetar sua possível candidatura à Presidência da República. Segundo ele, tal atitude, principalmente se viesse do PT, seria "ridícula".

"Isso seria ridículo. Até porque foram cassados, entre aspas, um montão de petistas também", afirmou o governador durante inauguração de uma escola técnica no bairro do Jaraguá, na zona norte de São Paulo. A declaração de Serra foi feita quando se afastava dos jornalistas, depois de uma entrevista coletiva de dois minutos.

Kassab também já havia dito ontem que o pedido de cassação de seu mandato não iria afetar a imagem do seu aliado. Segundo ele, o tucano "está desvinculado de qualquer ação de outra pessoa ou qualquer outro projeto na vida pública", disse.

Na semana passada, o juiz da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, Aloísio Silveira, cassou o mandato de Kassab e da vice-prefeita Alda Marco Antonio (PMDB) por recebimento de doações ilegais na campanha de 2008.

O juiz também cassou o diploma de oito vereadores: Antonio Donato Madormo (PT), Arselino Roque Tatto (PT), Gilberto Tanos Natalini (PSDB), Italo Cardoso Araújo (PT), José Américo Ascêncio Dias (PT), José Police Neto (PSDB), Juliana Cardoso (PT) e Marco Aurélio de Almeida Cunha (DEM).

Ontem, a Justiça Eleitoral acolheu pedido de efeito suspensivo formulado pela defesa de Kassab. Com isso, a sentença de cassação está suspensa até o pronunciamento do TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral) de São Paulo.

Nesta terça-feira, foi a vez de quatro vereadores do PT acusados de receberem doações ilegais terem os pedidos de cassação suspensos pela Justiça Eleitoral.

Por: Daniel Rancaglia

veja também