MENU

Serra e Falcão debatem e divergem sobre reforma política

Serra e Falcão debatem e divergem sobre reforma política

Atualizado: Terça-feira, 17 Maio de 2011 as 8:43

Em defesa do sistema de voto distrital já para as eleições municipais de 2012, o ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) teve uma reunião na tarde de hoje com o presidente nacional do PT, deputado estadual Rui Falcão (SP), para discutir uma proposta de reforma política. Em menos de uma hora de encontro, ficaram claras as divergências entre o petista e o tucano e só houve um consenso: a necessidade de mudança do sistema político eleitoral. "Nós não temos coincidências, mas estamos abertos a ouvir as propostas embora em muitas delas a gente não concorde", resumiu Falcão.

"Aqui não se trata de debater as diferenças, se trata de explicar melhor as posições, porque tudo tem de ser objeto de negociação. Se não há entendimento, não há saída", afirmou Serra, logo após o encontro, que ocorreu na Assembleia Legislativa de São Paulo.

Falcão deixou claro que o PT defende o voto proporcional e que a legenda acha improvável a aprovação do voto distrital para as eleições de 2012. "Ele (Serra) acha viável, mas o PT tem uma posição diferente sobre isso. Nós estamos buscando (encontrar) consensos máximos em torno do financiamento público (das campanhas) e da ampliação da participação popular (na apresentação de projetos)", afirmou o presidente do PT.

Para Serra, é possível negociar sobre financiamento público de campanha e realização em data única de eleições nas três esferas de poder - municipal, estadual e federal. "O importante é conversar. De repente, se pode fazer concessões", disse o ex-governador. O tucano ainda tentou persuadir Falcão sobre o sistema de voto distrital. "As pessoas vão poder escolher (seus candidatos) numa lista, vão lembrar em quem votaram. A campanha é mais barata e o partido se fortalece", argumentou Serra.

O tucano destacou que hoje 70% dos eleitores não se lembram em quem votaram nas últimas eleições. "Não é possível ter uma boa representação assim", criticou Serra, explicando que defende a adoção do sistema em cidades com mais de 200 mil eleitores.

Serra elogiou a iniciativa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que se colocou à disposição do PT para discutir uma proposta de consenso de reforma política com outros partidos. "Acho positiva essa reunião do Lula. Quem sabe a gente vai desdobrando", comentou. De acordo com o ex-governador, ele também pretende procurar outras legendas para buscar um consenso em torno do tema. "Não podemos perder esse bonde, mesmo que seja para médio ou longo prazo."

veja também