MENU

Serviço Funerário define nesta manhã se retoma greve em São Paulo

Serviço Funerário define nesta manhã se retoma greve em São Paulo

Atualizado: Segunda-feira, 5 Setembro de 2011 as 9:03

Carros de funerária da prefeitura ficam parados no pátio do cemitério da Vila Mariana, na zona sul de SP

        Os trabalhadores do Serviço Funerário de São Paulo decidirão, às 10h desta segunda-feira (5), se retomarão a greve que causou transtornos na capital paulista na semana passada. Na sexta-feira (2), a paralisação foi suspensa após a Justiça determinar multa diária de R$ 60 mil caso a greve continuasse.

A classe continua reinvidicando reajuste salarial de 39%. A assembleia desta segunda-feira está marcada para acontecer em frente ao gabinete da Prefeitura de São Paulo.

Por causa da greve dos funcionários do Serviço Funerário de São Paulo, algumas famílias demoravam até 30 horas para enterrar seus parentes.

Na noite desta quinta-feira (1º), a reportagem viu quatro enterros sendo realizados depois do anoitecer no Cemitério da Vila Formosa, na zona leste da capital. Em São Paulo, os enterros normalmente só são feitos até as 17h. Funcionários da limpeza, terceirizados, faziam às vezes de coveiros. Os familiares dos mortos eram convidados a colocar seus carros o mais próximo possível de onde ficariam as sepulturas, para poder iluminar o local.

Ninguém da administração apresentou justificativas. Os funcionários da limpeza disseram apenas que os enterros à noite foram uma forma de contornar "a fila" para sepultamentos. Como alguns casos já se estendiam havia dois dias, existia o risco de deterioração dos cadáveres.  

Em várias outras regiões da cidade, o cenário de atrasos era idêntico. Em alguns cemitérios, funcionários terceirizados chegaram a cavar covas em série para "adiantar o serviço".

Nesta manhã, o R7 visitou o cemitério Vila Mariana, na zona sul da cidade. A funcionária Maria Odete Rodrigues Rocha afirmou que, por causa da paralisação, apenas 30% dos servidores (contando com os setores administrativos e de sepultamento) trabalhavam nesta manhã. Já no cemitério Consolação, o vigilante, que preferiu não se identificar, disse que os enterros aconteciam normalmente, mesmo com a greve.

A reportagem também flagrou dois carros de funerárias particulares em frente ao Cemitério São Paulo, na zona oeste de São Paulo. Os funcionários que estavam dentro do veículo não quiseram comentar a situação.          

veja também