MENU

Servidores municipais decidem manter greve em SP

Servidores municipais decidem manter greve em SP

Atualizado: Quinta-feira, 1 Setembro de 2011 as 1:41

Servidores públicos municipais decidiram em assembleia realizada na manhã desta quinta-feira (1º) que vão continuar com a greve iniciada na última terça-feira (30). Segundo a diretoria do sindicato da categoria, a paralisação será ampliada. A greve afeta principalmente os serviços funerários na capital paulista.

A Prefeitura precisou contratar 15 carros de empresas particulares para auxiliar nos transportes de corpos, e 262 guardas-civis metropolitanos foram deslocados para dirigir os carros do serviço funerário municipal enquanto os agentes funerários estão parados. Entretanto, os guardas não têm experiência na função, não sabem manusear os caixões nem os procedimentos necessários, o que acaba atrasando o trabalho.

  Os atrasos para o transporte dos corpos entre hospitais, velórios e cemitérios diminuiu nesta quinta em relação aos últimos dois dias, mas a situação continua grave. No Serviço de Verificação de Óbito, na Zona Oeste, muitas pessoas aguardavam com tristeza o transporte para o corpo de seus entes queridos.

“O enterro do meu pai era para ser 9h de hoje, e é muito triste a situação, é uma falta de respeito, a gente tem que ficar passando por isso aqui, que é humilhante. Agora vai ser às 16h30. E se o carro não chegar aqui não vai dar para fazer velório”, contou a assistente administrativa Ângela Brito.

A paralisação também atinge algumas unidades de saúde, da Secretaria do Verde e Meio Ambiente e da Secretaria de Finanças. Nesta manhã, o atendimento nos hospitais do Servidor Municipal, na Liberdade, e Saboya, no Jabaquara, era normal.

Os servidores pedem um reajuste de 39,79% de reajuste. A Prefeitura ofereceu 11%, mas a categoria não aceitou a proposta.          

veja também