MENU

Setor de comida japonesa de supermercado no Rio é interditado

Setor de comida japonesa de supermercado no Rio é interditado

Atualizado: Sexta-feira, 17 Setembro de 2010 as 8:44

Um setor de preparo e comercialização de comida japonesa do supermercado Pão de Açucar, no Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio, foi multado pela operação Supermercado Limpo por ficar localizado ao lado da peixaria do estabelecimento e não ter nenhum tipo de higiene.

A operação aconteceu na manhã desta quinta-feira (16) e foi realizada pela subprefeitura da Zona Sul e pela 6ª Região Administrativa em parceria com a Vigilância Sanitária (Visa).

De acordo com a subprefeitura, o estabelecimento também foi multado em mais de R$ 3 mil por falta de limpeza e comercialização de alimentos impróprios ao consumo. Durante a ação, mais de 70 kg de alimentos foram inutilizados e descartados. Os fiscais ainda exigiram adequações na limpeza e manipulação de produtos.

Procurada, a assessoria de imprensa do Grupo Pão Açucar informou que o setor de comida japonesa será remanejado.

Veja a nota na íntegra do Grupo Pão de Açúcar:

"O Pão de Açúcar esclarece que trabalha em parceria com órgãos de defesa do consumidor e tem rigoroso procedimento para auditar a qualidade e validade dos produtos comercializados em suas lojas, dispondo de vários mecanismos que garantem o ótimo estado das mercadorias . A rede está tomando as medidas necessárias para adequar a localização do setor de comidas japonesas, já que conforme a orientação do órgão de fiscalização, o local próximo da peixaria é considerado insatisfatório. No local, não foram encontrados produtos fora da validade ou impróprios para consumo, o que foi contestado foi o tipo de corte das carnes disponíveis para venda (medalhão e estrogonofe), considerados impróprios, além da temperatura do balcão da padaria. A rede instaurou um processo interno para apurar responsabilidades e aplicar as medidas cabíveis para que o fato não volte a ocorrer. A loja opera normalmente e já realiza todas as melhorias solicitadas pela Vigilância Sanitária".

veja também