MENU

Sindicato pede para motoristas de ônibus voltarem ao trabalho no ABC

Sindicato pede para motoristas de ônibus voltarem ao trabalho no ABC

Atualizado: Sexta-feira, 3 Junho de 2011 as 11:31

Após pedido do sindicato para voltar ao trabalho, motoristas e cobradores dão as costas para sindicalistas em protesto (Foto: Letícia Macedo/ G1)    

                                                                    O Sindicato dos Rodoviários do Grande ABC anunciou na manhã desta sexta-feira (3) o fim da greve da categoria, que começou na quarta-feira (1º). A proposta de fim da paralisação, entretanto, não foi colocada em votação durante assembleia realizada nesta manhã na frente da sede do sindicato, em Santo André. A direção pediu que a categoria voltasse ao trabalho diante das determinações feitas pela Justiça do Trabalho, nesta quarta.

O diretor de imprensa do Sindicato dos Rodoviários do Grande ABC, Marcos Antônio Aleixo, que conduziu a assembleia, afirmou que é hora de recuar. “É melhor voltar ao trabalho porque a gente sabe que os empresários iriam jogar pesado com os trabalhadores”, afirmou. Segundo Aleixo, a proposta não foi colocada em votação porque a própria diretoria não a considera satisfatória. “A proposta vem do tribunal e nem a diretoria aceita. É uma proposta muito mais baixa do que a que tínhamos conversado com os empresários”.

O posicionamento dos diretores do sindicato irritou um grupo que abandonou a assembleia. O motorista Edvaldo Pereira Barbosa, de 25 anos, que trabalha em Mauá, considerou péssima a proposta. “Eles empurraram goela a baixo a proposta. Nós não tivemos opção. O certo era a gente continuar com a greve, mas não deram opção”, declarou.

Alguns motoristas e cobradores afirmaram que só retornarão ao trabalho após o julgamento da greve, previsto para acontecer às 13h desta sexta no Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

O fim da greve foi anunciado pela direção do sindicato diante da determinação do TRT de multar a categoria em R$ 200 mil por dia caso eles não mantivessem 80% dos ônibus em circulação. Além disso, segundo a direção do sindicato, a Justiça autorizou as empresas a demitirem por justa causa os trabalhadores em greve.

Na reunião de conciliação que aconteceu no TRT, a Justiça prevê 7,8% de aumento no salário e no vale refeição. A proposta feita pelas empresas inicialmente, que previa além de um aumento de 8%, um reajuste no Plano Lucros e Resultados (PLR) de 33% para os cobradores e de 12% para os motoristas.

O presidente do Sindicato dos Rodoviários do Grande ABC, Francisco Mendes da Silva, o Chicão, pretende reverter a multa pelos dias de greve. As negociações com as empresas devem continuar, segundo o sindicato, que não soube informar qual o percentual de ônibus que circularam no ABC nesta manhã.

CPTM e Metrô

Os funcionários da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), que nos últimos dois dias cruzaram os braços, suspenderam nesta quinta-feira a paralisação e voltaram ao trabalho durante a noite. Os ferroviários, porém, permanecem em estado de greve, com a continuidade das negociações.

Os metroviários, por sua vez, aprovaram em assembleia realizada na noite desta quinta-feira a proposta salarial feita pelo Metrô e cancelaram o estado de greve. Os trabalhadores terão reajuste de 8% no salário e no vale alimentação. Inicialmente, os metroviários pretendiam aumento salarial de 10,79%.          

veja também