MENU

Situação das estradas dificulta chegada de doações a algumas cidades de Santa Catarina

Situação das estradas dificulta chegada de doações a algumas cidades de Santa Catarina

Atualizado: Segunda-feira, 1 Dezembro de 2008 as 12

Situação das estradas dificulta chegada de doações a algumas cidades de Santa Catarina

A interdição, total ou parcial, de estradas federais e estaduais em Santa Catarina tem dificultado a distribuição de doações a algumas cidades afetadas pelas chuvas no estado. Um exemplo é Itajaí. De acordo com a defesa civil, a queda de uma barreira na BR-101 é um dos fatores que impede a chegada de boa parte das doações.

Segundo o órgão, mesmo o transporte aéreo não tem conseguido resolver o problema da falta de alimento, já que só tem sido usado para a distribuição dos donativos do governo. As doações de empresas e instituições particulares, inclusive de outros estados, são transportadas por via terrestre.

De acordo com informações da defesa civil estadual, diversos trechos de estradas estão interditados, como nas SC 401, 408, 411, 413, 416, 431, 438, 466, 474 e 477 e nas BR 101, 282 e 470. A maioria na região do Vale do Itajaí.

Segundo a defesa civil, o esquema de apoio aéreo conta com duas aeronaves Búfalo, da Força Aérea, que leva os mantimentos até a Base de Navegantes (SC). De lá, as doações são distribuídas em 26 helicópteros e dois aviões pequenos. Os aparelhos foram cedidos pelas Polícias Militares do Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro; Polícia Civil de São Paulo; Polícia Rodoviária Federal; Ibama; Forças Armadas e Casa Militar do Paraná.

Na tarde de hoje (27), a Secretaria Nacional de Defesa Civil (Sedec), vinculada ao Ministério da Integração Nacional, divulgou recomendações para doadores de ajuda humanitária. A secretaria ressaltou que toda ajuda é bem vinda, mas deve ser feita de forma organizada e no momento correto.

A Sedec pede que os doadores sempre consultem as autoridades que estão na coordenação de ajuda às vítimas para saber as reais necessidades de doação antes de iniciar uma campanha de arrecadação de gêneros alimentícios ou agasalhos.

A Sedec quer evitar acúmulo de doações não necessárias que levaria deslocamento de pessoal de atividades mais prioritárias, como o atendimento direto à população, para o trabalha de classificação, embalagem e rotulagem do material doado.

A Secretaria divulgou algumas orientações com critérios básicos para uma campanha de doação:

- Antes de efetuar doações procure informações de necessidades levantadas pela Defesa Civil de seu Estado ou Município, ou em quartéis de Bombeiros ou Polícia Militar, por exemplo;

- Todas as doações devem beneficiar a quem recebe e não a um sentimento pessoal de solidariedade e ajuda humanitária;

- Atentar para a qualidade do material doado;

- Respeitar os anseios da Defesa Civil que está gerenciando o desastre e que busca responder as necessidades imediatas da população afetada; e

- Estabelecer uma comunicação eficaz entre o doador e autoridade de Defesa Civil local onde ocorreu o desastre.

veja também