MENU

Sob protestos, Kassab lança Operação Delegada em feira no Brás

Sob protestos, Kassab lança Operação Delegada em feira no Brás

Atualizado: Terça-feira, 24 Maio de 2011 as 12:56

Sob protestos de comerciantes que temem perder seus pontos de venda e reclamam dos critérios de cadastramento, o prefeito Gilberto Kassab lançou nesta terça-feira (24) a Operação Delegada na feirinha da madrugada do Brás, no Centro de São Paulo.

Na operação, policiais militares em seu horário de folga são pagos para fiscalizar áreas da cidade, principalmente aquelas tomadas pelo comércio popular. A princípio, os policiais estão ajudando a Prefeitura a finalizar o cadastro dos comerciantes. Dentro de dez dias eles devem começar a retirar aqueles que estão irregulares e fiscalizar mercadorias roubadas e pirateadas.

De acordo com a Prefeitura, três cadastros feitos anteriormente – dois pela administração municipal e um pela União, que administrava a feira até o ano passado e ainda é dona do terreno – apontam cerca de 4,2 mil comerciantes no espaço. A Prefeitura pretende finalizar agora, com a ajuda da PM, a certificação de quem está regular ou irregular. O processo é feito para que, no futuro, seja construído um shopping popular no local.

“Os comerciantes são ameaçados, são chantageados, obrigados a dar dinheiro. A Prefeitura está entrando aqui agora com a Operação Delegada. Nós não pretendemos nos omitir. Assumimos a área há alguns meses, mas é um enfrentamento de crime. As coisas melhoraram, mas o crime ainda não foi dizimado”, disse Kassab, que circulou pelo local e entregou certificados de cadastramento a alguns comerciantes.

Kassab foi alvo de protestos de comerciantes na feirinha da madrugada (Foto: Juliana Cardilli/G1)

  De acordo com o secretário de Coordenação das Subprefeituras, Ronaldo Camargo, a princípio está prevista a atuação de 60 policiais por turno na feirinha. Segundo ele, cera de 2 mil comerciantes já foram cadastrados, e o restante deve ser feito ainda nesta semana. Ainda de acordo com o secretário, a operação será realizada da mesma forma que em outros pontos de comércio popular da cidade, como a Rua 25 de Março e o Largo 13 de Maio.

Reclamações

O prefeito enfrentou protestos de muitos ambulantes, que reclamaram que eram regulares, estão perdendo espaço e que a Prefeitura entrega certificados a comerciantes que vendem produtos piratas. “O certificado é fruto de um processo desenvolvido pelas secretarias. É evidente que se alguém conseguiu o certificado e a partir daquele momento voltou ou passou a vender mercadoria ilegal, será fechado e será punido”, afirmou.

Kassab garantiu que os comerciantes que estão na feirinha desde o seu início e que estão cadastrados terão lugar no shopping que será construído na área, “sem a concorrência desleal de quem vende produto roubado ou produto pirata”. O prefeito também pediu que os comerciantes denunciem de maneira anônima as pessoas que invadiram a área e que os ameaçam.

O terreno onde funciona a feira ainda é a da União, mas ela já é administrada pela Prefeitura. Dentro de dois meses deve ocorrer a transferência da posse, e a administração municipal irá iniciar os procedimentos necessários para a construção do shopping popular – que fará parte de um circuito de compras no Centro da cidade.

Prefeitura quer construir shopping popular no local onde ocorre a feira (Foto: Juliana Cardilli/G1)        

veja também