MENU

Sobe para 13 número de integrantes de torcidas organizadas presos no RJ

Sobe para 13 número de integrantes de torcidas organizadas presos no RJ

Atualizado: Quinta-feira, 16 Setembro de 2010 as 9:02

A polícia do Rio prendeu no fim da tarde desta quarta-feira (15) mais um suspeito ligado a torcidas organizadas do Vasco e do Flamengo que marcavam encontros pela internet para promover brigas entre as torcidas no Rio de Janeiro . Com isso, sobe para 13 o números de presos durante a operação Hooligans.

De acordo com o delegado titular da 73ª DP (Neves), Luiz Antônio Ferreira, responsável pelas investigações, o jovem preso no final desta tarde, no bairro Zé Garoto, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, é filho de PM e integra uma facção da torcida organizada do Flamengo.

Entre os presos, está um soldado do Batalhão de Choque da Polícia Militar e o filho da secretária de Educação de Itaboraí. Eles vão responder por vários crimes, entre eles, homicídio e formação de quadrilha. "É quadrilha, é bandido mesmo que usa a capa da torcida organizada pra promover arruaça, briga, vandalismo...", afirmou o delegado Luiz Antônio Ferreira.

Em um bar que, segundo a polícia era usado como ponto de concentração pelo grupo, os agentes encontraram um taco de beisebol e sete máquinas caça-níqueis.

Foram 29 mandados de busca e apreensão. Os policiais encontraram dezenas de camisas com desenhos que se referiam a armas e brigas.

As investigações começaram há cinco meses, depois que um torcedor do Vasco morreu com vários tiros numa emboscada em São Gonçalo. Um dos chefes da torcida vascaína, que estaria junto com o torcedor assassinado, mas conseguiu escapar na ocasião, também foi preso nesta quarta-feira.

O chefe da Torcida Jovem do Flamengo em São Gonçalo, suspeito de participar do atentado, também foi detido.

Encontros marcados pela internet Novos confrontos estavam marcados entre as duas torcidas, que utilizavam uma página de relacionamento na internet para fazer provocações. A polícia rastreou as mensagens e descobriu até ameaças à juiza que decretou as prisões.

Em uma das páginas da internet, um torcedor confessa que participou da morte do vascaíno , assassinado em São Gonçalo, e diz que tem bomba caseira, facas e revólveres para a próxima briga.

"A Polícia Civil vai entrar de uma forma muito firme de agora em diante, até os grande eventos que sediarão no Rio de janeiro, no combate a esses marginais infiltrados em torcidas organizadas", delegado Allan Turnowski.

Na delegacia, todos negaram participação nos crimes. E a secretária de Educação de Itaboraí disse que não sabia que o filho fazia parte de uma torcida organizada.

Postado por: Thatiane de Souza

veja também