MENU

Sorriso de "Mona Lisa" deve-se a esmalte, dizem cientistas

Sorriso de "Mona Lisa" deve-se a esmalte, dizem cientistas

Atualizado: Terça-feira, 24 Agosto de 2010 as 11:25

O segredo foi finalmente revelado. Cientistas franceses descobriram como Leonardo da Vinci criou o efeito de mistério do sorriso de "Mona Lisa", uma de suas obras mais famosas.

Segundo os pesquisadores do Centro de Pesquisa e Restauração de Museus da França e do European Synchrotron Radiation Facility, tudo se deve ao efeito esfumaçado (sfumato) desenvolvido por Da Vinci: ele chegava a aplicar até 40 camadas de esmalte ("glaze") sobre a tela.

Misturado com outros pigmentos, o esmalte cria leves borrões e sombras nos lábios de Mona Lisa, fazendo com que seu sorriso quase imperceptível pareça desaparecer ao ser encarado de frente.

Por conta da demora para secar, o efeito pode ter levado anos para ser alcançado.   Os cientistas também suspeitam que o artista aplicou o esmalte diretamente com as mãos, já que não há marcas de pincel na pintura.

Da Vinci é conhecido por aplicar o sfumato para borrar linhas e fundir sombras. No entanto, até então não se tinha noção de quais técnicas ele utilizava para obtê-lo, o que intrigava experts da arte.

"A delicadeza das camadas de esmalte deve ser relevada. Ela confirma a destreza do pintor. A velocidade calculada e a evolução progressiva do esmalte implica a necessidade de várias camadas para se obter a sombra mais escura", escreveu Philippe Walter, que liderou o estudo, na revista científica "Angewandte Chemie".

Cada camada tem apenas dois micrômetros, algo 50 vezes mais fino que um fio de cabelo. Os cientistas usaram uma técnica conhecida como espectrometria por raios x fluorescentes, que permitiu o estudo sem a retirada de amostras que poderiam estragar a obra.

veja também