MENU

SP apreende mais de 27 mil motos até setembro

SP apreende mais de 27 mil motos até setembro

Atualizado: Sexta-feira, 4 Novembro de 2011 as 2:28

Mais de 27 mil motos foram apreendidas na cidade de São Paulo entre janeiro e setembro deste ano. O número é seis vezes maior do que o registrado em todo o ano de 2010. Na próxima semana, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) irá abrir um novo pátio com capacidade para receber mais 7 mil motos.

Em um dos pátios já existentes, que fica na Mooca, Zona Leste, estão mais de 4 mil motos que apresentam diversos problemas. Elas pertencem a motociclistas que se esqueceram de trocar o pneu, que não poderiam circular durante a noite, que não conseguem sinalizar para o motorista que vem atrás se irão mudar de faixa ou frear e até motos com o velocímetro quebrado.

No local há também motos artísticas, que são modificadas pelos donos. Ainda há motos de trabalhador descuidado, que se não resgatar o ganha pão deverá procurar outro emprego. Há também motos novas, que quase sempre vão parar no pátio por problemas de documentação.

Em 2010, foram apreendidas 4.650 motos na cidade. Este ano, só até setembro foram realizadas 27 mil apreensões. A CET diz que o crescimento ocorreu principalmente por causa do aumento da fiscalização.

"Foi devido à intensificação da fiscalização dos motociclistas. Por causa do aumento das autuações, o espaço acabou ficando pequeno, tanto que na próxima semana nós estamos inaugurando um novo pátio com capacidade para oito mil vagas", explica Armando Fontoura, gerente de pátios da CET.

O novo pátio, que fica próximo à Rodovia Fernão Dias, já abriga 400 carros. Atualmente, há nos cinco pátios da prefeitura cerca de 8,5 mil veículos.

Se após 30 dias a moto não for retirada, ela é transferida para outros pátios, onde ficam mais 60 dias. Depois deste prazo, as motos são leiloadas - 70% das motos apreendidas resgatadas pelos proprietários.

Para retirar a moto é necessário que o proprietário vá ao Detran para consultar a relação de débitos, como IPVA, licenciamento, multas e as cobranças com o guincho da CET, que sai por R$ 137,55, e da diária, que custa R$ 10,75 . Depois de emitidos e pagos os boletos, o dono pode ter a moto de volta.        

veja também