MENU

SP lança projeto para conscientizar jovens sobre prevenção do câncer

SP lança projeto para conscientizar jovens sobre prevenção do câncer

Atualizado: Quinta-feira, 24 Novembro de 2011 as 1:02

Cartilha será entregue a alunos da rede estadual

(Foto: Juliana Cardilli/G1) Estudantes do ensino médio de escolas estaduais de São Paulo irão receber a partir desta quinta-feira (23) cartilhas e informações referentes à prevenção aos diversos tipos de câncer, como parte de um programa que visa dar mais informações aos jovens e ampliar os cuidados com a saúde. Médicos do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) irão ministrar palestras sobre o assunto em 80 escolas da capital paulista. A partir de 2012, os diretores dos estabelecimento de ensino serão treinados para que o assunto passe a ser abordado pelos professores dentro das aulas.

Chamado de “Educar é prevenir”, o projeto é uma parceria entre o Icesp e as secretarias de Estado da Educação e da Saúde. O oncologista Paulo Hoff, diretor-geral do Icesp, foi o responsável pela palestra na Escola Estadual Romeu de Moraes, na Lapa, Zona Oeste de São Paulo.

“O objetivo é conscientizar os alunos que atitudes que eles tomam agora podem ajudar a evitar o câncer muito mais tarde, ensiná-los que o câncer é um processo longo, que pode ser bloqueado se tomarmos certas atitudes na juventude”, disse Hoff. “A nossa expectativa é que isso sirva também como uma maneira de disseminar a informação às famílias, amigos, porque a gente sabe que os alunos têm grandes redes de amizade.”

Hoff falou a alunos de escola na Zona Oeste de SP

(Foto: Juliana Cardilli/G1) Durante sua palestra, Hoff explicou como se forma o câncer e tentou aproximar a doença do cotidiano dos alunos – contando que a doença é a segunda causa de morte no Brasil e que possivelmente uma em cada três pessoas podem vir a desenvolver um câncer durante a vida. Ele também comentou sobre os recentes casos de pessoas famosas que lutam contra a doença – o médico faz parte da equipe que trata o ex-presidente Lula, diagnosticado com um câncer na laringe.

Hoff também relatou aos alunos os fatores que aumentam a possibilidade de desenvolvimento da doença – fumo, consumo de bebidas alcoólicas, exposição prolongada ao sol, prática de sexo sem camisinha. “A ideia é fazer uma prevenção global. Não vamos conseguir evitar todos os tipos, mas o máximo possível. Pele, pulmão, traqueia, cabeça e pescoço, pâncreas, bexiga, todos esses têm fatores que podem minimizar seu risco.”

Retorno dos alunos

Estudantes que participaram da palestra elogiaram a iniciativa e disseram que irão repensar suas atitudes para evitar problemas no futuro. “O que a gente faz agora vai refletir daqui 10, 20 anos. Eu não imaginava, eu pensava que daqui uns cinco anos aparecia”, disse Thayna Serra, de 18 anos, aluna do terceiro ano do ensino médio.

Thayna, Rafaela e Mainara aprovaram a palestra

(Foto: Juliana Cardilli/G1) “Ter palestra ajuda a esclarecer algumas dúvidas. Muitas pessoas tinham dúvidas simples, mas às vezes falta a informação”, afirmou Rafaela Xavier, 18 anos, também do terceiro ano. “Eu só pratico esportes, mas você vê que não é só o esporte que ajuda, tem outras coisas por trás. Eu vou repensar bastante.”

A didática do médico e o formato da palestra, com espaço para perguntas, também foi elogiado. “Eu achei que foi bem legal, achei que todo mundo ia dormir, mas acabou sendo bem dinâmico”, disse a estudante Mainara Bastos.

Rede de ensino

Apenas com as palestras desta quinta, 25 mil alunos entraram em contato com as informações sobre a doença. As cartilhas e todo o material do projeto, como vídeos feitos pelos médicos do Icesp, serão disponibilizados para 1,5 milhão de alunos dos três anos do ensino médio.

“O jovem permanece na escola quatro horas por dia no mínimo, ele tem as aulas de biologia, entretanto muitas vezes ele não tem essas informações. O tipo de informação que vai ser dada nesse programa é quase que um desenvolvimento do currículo fora da sala de aula, complementa o currículo”, afirmou o secretário-adjunto da Educação, João Cardoso Palma Filho. “Trata-se de informar o jovem a respeito dos agravos em relação à saúde e que mais tarde pode se manifestar. O câncer de pele muitas vezes vai se manifestar muitos anos depois em conseqüência de uma exposição irresponsável ao sol”            

veja também