MENU

SP tem 35% de toda frota de veículos registrada no país

SP tem 35% de toda frota de veículos registrada no país

Atualizado: Segunda-feira, 27 Junho de 2011 as 1:50

A frota de veículos de São Paulo corresponde a 35% do total circulante em todo o país, segundo o Detran. Só de carros são mais de cinco milhões, sem contar os veículos de outras cidades. Nesta segunda-feira (27), a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) registrou, às 9h, o segundo maior congestionamento do ano no período da manh㠖 148 km, cinco a menos do que o recorde registrado no começo de abril.

Em dias de chuva, os congestionamentos deixam a impressão de que o número de carros nas ruas de São Paulo aumenta. São mais de sete milhões de veículos registrados e, a cada dia, esse número só cresce. Isso porque o Detran reconhece que não tem como saber se o carro roubado, por exemplo, ainda existe ou não.     “Enquanto ele não for encontrado e for constatado por processo judicial ou mesmo por diagnóstico da perda total do veículo, ele continua nos nossos registros”, explica Daniel Bonati, diretor do departamento de veículos do Detran.

A CET tem uma conta diferente. O órgão calcula que a frota circulante em São Paulo seja bem menor do que os números registrados no Detran. Essa medição é feita por um computador. Os pesquisadores fazem a contagem manual de quantos carros rodam pelos grandes corredores e pelas vias menores. As linhas vermelhas em um mapa indicam onde o fluxo é maior.

“O contador, sentado num banquinho, fica contando quantos carros passam em quatro horas de pico”, diz a gerente de planejamento da CET Daphne Savoy. De acordo com o último cálculo feito pela CET, 456 mil veículos circulam na capital em horário de pico. Eles representam 12% do número total de carros que passam por São Paulo durante um dia inteiro.

Carros antigos

Parte da frota registrada em São Paulo não é vista rodando pelas vias da capital. Isso porque alguns veículos são raridades e pertencem a colecionadores. O Museu do Automóvel preserva algumas preciosidades. A coleção tem joias como o Rolls Royce de 1956, e o Cadillac de 1950. A peça mais antiga da coleção é o Le Zebre, fabricado em Paris há mais de um século.

“Placa amarela são os carros bem antigos e não constam no cadastro no Detran. São duas letras e quatro números. Placa cinza é um carro antigo, cadastrado no Detran e a placa preta é carro de coleção”, fala a diretora do museu, Mônica Siciliano.

Os carros são registrados, mas não rodam pelas ruas. Ou seja, não entram na conta da frota circulante de São Paulo. Assim como eles, existem milhões de outros carros. Nos arquivos do Detran estão registrados veículos do início do século passado. A chance de encontrar um deles pelas ruas é praticamente nenhuma.          

veja também