SP tem quase 3 mil terrenos contaminados

SP tem quase 3 mil terrenos contaminados

Atualizado: Segunda-feira, 18 Outubro de 2010 as 8:36

O estado de São Paulo tem quase 3 mil terrenos contaminados com produtos químicos. O número refere-se apenas a terrenos que são monitorados pelos municípios e autoridades ambientais. Há ainda aqueles em que o lixo é jogado sem qualquer tipo de fiscalização.

Entre as vítimas desses terrenos contaminados estão duas crianças de Rosana, no interior do estado. Elas encontraram embalagens tóxicas em um terreno e acharam graça nas bolinhas de metal. Levaramo produto para casa e depois para a escola. Mais de 50 pessoas foram contaminadas com mercúrio.

“Duas crianças não comem direito, estão perdendo peso. Leva para o hospital, toma remédio para febre e volta", conta a dona de casa Solange Antunes de Andrade, mãe das crianças. “Espero que seja feita justiça. Até agora não falaram nada, não se sabe de onde vem, o que vai acontecer”, reclama o pai das crianças, Douglas Monteiro Padilha.   Na mesma época, em um segundo terreno da cidade, mais mercúrio foi encontrado em uma área que pertencia à prefeitura. O produto estava misturado a lixo hospitalar. “Tudo indica que seja de clínica odontológica devido ao material que constava na sacola de lixo, que eram restos de medicamentos, materiais usados em consultório de dentista”, aponta o secretário municipal de Saúde de Rosana, David Rodrigues.

Terrenos baldios, abandonados, repletos de lixo, não existem só no interior. Em um bairro nobre da Zona Sul de São Paulo, não é difícil entrar em uma área pública. É só passar por blocos de concreto. No local é jogado todo tipo de lixo: restos de construção, jardinagem e também lixo doméstico. O lixo fica bem embaixo de uma placa da prefeitura que diz “proibido jogar lixo e entulho. Multa para crime ambiental R$ 500”.

Bem mais grave é a situação flagrada em Vitória da Conquista, na Bahia. Sacolas carregadas com dezenas de seringas usadas, agulhas, e material de laboratório à margem de uma rodovia.    

veja também