MENU

STF nega pedido de liberdade a acusado de matar Eloá

STF nega pedido de liberdade a acusado de matar Eloá

Atualizado: Quarta-feira, 23 Junho de 2010 as 4:30

O Supremo Tribunal Federal (STF) negou nesta terça-feira (23) pedido de liberdade provisória de Lindemberg Alves Fernandes, acusado da morte de sua ex-namorada Eloá Cristina Pimentel, de 15 anos, em outubro de 2008, em Santo André, no ABC.

Lindemberg responde ação por homicídio qualificado (motivo torpe e sem possibilidade de defesa), além das tentativas de homicídio de Nayara Silva, amiga de Eloá, e do sargento Atos Valeriano. Contra Lindemberg pesam ainda os crimes de sequestro e cárcere privado e também os quatro disparos de arma de fogo que efetuou no fim do sequestro, que durou mais de 100 horas. A defesa alegou excessiva demora na análise do processo do acusado.

Segundo a ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha, que negou o habeas corpus, a prisão preventiva está devidamente fundamentada, com base na comprovação de periculosidade. “O acusado, ao resistir intensamente de forma violenta por cinco dias ao cerco policial, demonstra que, se beneficiado pela liberdade provisória, colocará em risco a aplicação da lei penal, que se dá também pelo acerto do indeferimento desse benefício, tudo indicando que caso se livre, furtar-se-á ao processo, trazendo com isso prejuízo à aplicação da lei penal”, disse a relatora.

Este é o terceiro habeas corpus pedido pela defesa de Lindemberg. Todos foram negados pelo STF.

Histórico

Lindemberg invadiu o apartamento de Eloá em 13 de outubro de 2008, por volta das 13h30, e chegou a manter quatro reféns. No mesmo dia, ele libertou dois adolescentes. No dia seguinte, libertou a amiga da ex-namorada, Nayara, que voltou ao apartamento na manhã de quinta-feira (16) como parte da negociação para rendição.

Na sexta-feira (17), o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) explodiu a porta e deteve Lindemberg. Nayara deixou o apartamento andando, enquanto Eloá, carregada, foi levada inconsciente para o hospital. A morte cerebral de Eloá foi diagnosticada no fim da noite de sábado (18).

veja também