MENU

Suplicy afirma que Dilma se comprometerá com liberdade de imprensa sem qualquer adjetivação

Suplicy afirma que Dilma se comprometerá com liberdade de imprensa sem qualquer adjetivação

Atualizado: Sexta-feira, 15 Outubro de 2010 as 9:11

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) informou ao plenário que o PT, com apoio do PMDB, está preparando um programa de governo de 13 pontos para a candidata Dilma Rousseff, a ser anunciado nos próximos dias. Ele citou declaração do presidente nacional do partido, José Eduardo Dutra, de que Dilma se comprometerá com a "liberdade de imprensa e democracia sem qualquer adjetivação".

Segundo o senador paulista, o programa tratará de crescimento associado à distribuição de renda; meio ambiente e desenvolvimento sustentável; erradicação da pobreza absoluta; melhoria da educação e da saúde; e investimentos em habitação, saneamento, infraestrutura e apoio à cultura.

No mesmo discurso, Suplicy considerou equivocada a declaração do porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China ao comentar a decisão do comitê norueguês que concedeu o prêmio Nobel da Paz ao dissidente chinês Liu Xiaobo. O porta-voz afirmou que o comitê desrespeitava o Judiciário da China ao premiar um dissidente.

- Sou amigo da China e lá estive por duas vezes. Mas ele está obviamente cometendo um erro. O fantástico desenvolvimento econômico, social e tecnológico do país precisa ser acompanhado de aberturas do ponto de vista da liberdade de expressão, da liberdade de organização e um aperfeiçoamento das instituições democráticas - disse o senador petista.

Eduardo Suplicy também cumprimentou o peruano Mario Vargas Llosa pelo Prêmio Nobel de Literatura deste ano, registrando que o escritor lamentou, em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo , que nenhum escritor brasileiro tenha recebido a premiação até hoje.

Professor de economia, o senador cumprimentou ainda os colegas que receberam o Prêmio Nobel de Economia - os norte-americanos Peter Diamond e Dale Mortensen e o britânico-cipriota Christopher Pissarides.

Finalmente, Suplicy informou que encaminhou à embaixada de Cuba, em Brasília, convite para que a blogueira Yoani Sánchez possa viajar ao Brasil e participar, na Bahia, no dia 26 de novembro, de um documentário. Lastimou que, apesar dos prêmios que Yoani tem recebido, o governo cubano continua impedindo sua saída do país.

veja também