MENU

Suspeito de matar irmãs em Cunha passa a noite em cela isolada

Suspeito de matar irmãs em Cunha passa a noite em cela isolada

Atualizado: Terça-feira, 12 Abril de 2011 as 12:10

Preso nesta segunda-feira (11) em Cunha, no interior de São Paulo, Ananias dos Santos, principal suspeito de ter assassinado as irmãs Josely e Juliana, passou sua primeira noite na cadeia de Guaratinguetá, também no interior do estado, em uma cela isolada. Ele confessou o crime em depoimento à polícia, afirmou que as duas vítimas o hostilizavam e se disse arrependido.

Santos foi preso na casa de sua irmã na zona rural de Cunha por uma equipe da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Guaratinguetá. Ananias disse ter cometido o crime sozinho, negou ter violentado as meninas e descartou a participação de uma ex-namorada no duplo homicídio. O crime foi planejado durante a semana em que antecedeu a execução, segundo a polícia.

No dia 23 de março, as irmãs, sob ameaça, caminharam pelo meio do mato na companhia do suspeito até o ponto em que elas foram executadas. As garotas foram abordadas quando desciam do ônibus que as traziam da escola. Os corpos foram encontrados cinco dias depois.     O suspeito, que desapareceu depois do crime, disse ter ficado o tempo todo na zona rural de Cunha. Segundo a polícia, ele passava o dia em tendas construídas em propriedades rurais e, durante a noite, voltava para dormir na casa de familiares. Após a prisão, ele afirmou onde havia guardado a carabina calibre 22 usada no crime. Ela estava embaixo de uma pedra.

Santos era considerado foragido da Justiça por roubos cometidos entre 2002 e 2003 em Lorena e Cachoeira Paulista, no Vale do Paraíba, no interior paulista, onde atuou em uma quadrilha conhecida como "Irmãos Metralha", segundo a polícia. Ananias era foragido do Presídio Edgar de Magalhães Noronha, em Tremembé, também no interior, para onde não voltou depois de uma saída temporária de Páscoa, em 2009.

Santos deve ficar na cadeia pública de Guaratinguetá à disposição da polícia, que aguarda ainda os laudos periciais para concluir o inquérito.      

veja também